Sérgio Conceição: «Quem não acreditar não pode vestir esta camisola»

Treinador quer a equipa focada no objetivo de eliminar o Chelsea na Liga dos Campeões

A carregar o vídeo ...
Sérgio Conceição: «O acreditar faz parte desta casa»

Sérgio Conceição antevê um encontro difícil contra o Chelsea, amanhã, nos quartos-de-final da Liga dos Campeões, mas não deixa de acreditar que é possível o FC Porto surpreender os blues na eliminatória. A história recente mostra que David pode bater Golias, ou não tivessem os dragões deixado a Juventus pelo caminho...

Chelsea
"É um adversário diferente da Juventus em muitas coisas, na sua dinâmica, no processo ofensivo, defensivo, no esquema tático... É diferente. Podemos comparar a valia, são duas das melhores equipas do Mundo, habituadas a jogar ao mais alto nível, com jogadores que dispensam apresentações. Vamos ter uma tarefa difícil, mas temos a nossa equipa pronta. Somos um clube que, não tendo um orçamento parecido com essas equipas, conseguimos bater-nos com o nosso espírito e qualidade de jogo. O que fizemos contra a Juventus, sem ter muita bola, foi de uma qualidade fantástica."

Mudança tática pelas ausências Sérgio Oliveira e Taremi
"Olhamos para nós em função da estratégia do adversário que vamos ter pela frente. Mas sim, poderá haver uma ou outra 'nuance' diferente."

Sérgio Conceição e o plano para o jogo com o Chelsea: «Poderá haver uma nuance diferente»
Luis Díaz como extremo ou segundo avançado?
"Posso querer um ala ou de um extremo que jogue mais por fora ou por dentro, tem a ver com o espaço que ele ocupa quando temos a bola e que pode potenciar melhor as qualidades do Luis. Amanhã logo se verá se teremos um Luis a explorar as suas qualidades e perceber como o vamos fazer. Isso faz parte das nossas ideias para o jogo. No caso do Luis tem a ver com a questão da ocupação do espaço."

Nível de crença
"Acreditar faz parte desta casa. Vocês conhecem a nossa história, quem não acreditar que é possível ganhar o próximo jogo não pode vestir esta camisola. Essa crença, essa ambição que todos temos aqui está patente no nosso dia a dia e o mais importante para nós é pensarmos no futuro próximo, que neste caso é o jogo com o Chelsea e que é o que nos interessa."

Receção dos adeptos
"Gostaríamos de jogar na nossa casa, onde estamos habituados, onde temos a força do azul, dos dragões no nosso balneário. Mas a casa faz sentido é com a família lá dentro. Até este momento essa família está fora, a força do clube, que são os adeptos, tem estado fora. Hoje estão aqui a apoiar-nos e agradecemos. Gostava de os ter em todos os jogos, têm sido incansáveis." 

Jogos da Champions são mais desafiantes?
"Não, a motivação e o rigor com que preparamos os jogos é igual. Temos de dar um bocadinho mais de informação aos jogadores, só isso. Se olharmos de uma forma mais geral, é verdade que 60 ou 70 por cento do tempo jogamos em ataque organizado e numa Liga dos Campeões passamos mais tempo no nosso meio-campo defensivo. Mas preparo um jogo na Taça de Portugal contra o Fabril da mesma maneira que preparo um da Liga dos Campeões. Claro que jogo com o Chelsea é mediático, prefiro estar nos quartos de final da Champions do que na Taça de Portugal, sem querer desrespeitar ninguém. Mas a preparação e a motivação com que o faço é exatamente a mesma." 

Que Chelsea espera
"O Tuchel é um treinador que muda um bocadinho, mesmo ganhando, já o fazia em França. Mas isso cabe-nos a nós analisar. Vi o último jogo mas esse encontro não foi apresentado aos nossos jogadores."

Ausência de Sérgio Oliveira 
"Gostaríamos de ter toda a gente disponível, o Taremi também está de fora. Pode mudar alguma coisa. Não temos o Sérgio, o melhor marcador da equipa, um jogador importante, mas estou aqui para arranjar soluções. Não vamos mudar a nossa forma de encarar o jogo porque faltam dois jogadores."



Por Record
7
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas