Sérgio Oliveira: «Conseguimos eliminar uma super Juventus»

Médio falou à UEFA sobre a época protagonizada

13. Sérgio Oliveira (FC Porto) - Valor de mercado: 16M€ (+5M€ face à última atualização)
13. Sérgio Oliveira (FC Porto) - Valor de mercado: 16M€ (+5M€ face à última atualização)

Sérgio Oliveira foi um dos grandes obreiros da passagem do FC Porto aos quartos-de-final da Liga dos Campeões, ao bisar em Turim, no jogo que ditou a eliminação da Juventus aos pés dos dragões. Em entrevista à UEFA, o médio falou dessa partida, mas foi um pouco mais além e falou de outras dados da época do clube.

Juventus: "Quando se está no relvado e algo como isso acontece, acho que não nos damos inteiramente conta do que significa para nós e para os adeptos. É óbvio que ficámos eufóricos pela passagem aos quartos-de-final, ainda mais quando conseguimos derrotar uma super Juventus, uma equipa muito forte que tem o melhor jogador do Mundo. Jogámos com menos um jogador durante uma hora e mesmo assim conseguimos ser bem-sucedidos. Podemos dizer que foi um jogo à imagem daquilo que é o FC Porto. Jogámos com raça e com a luta que nos caracteriza. Creio que foi um momento épico e, tendo em conta tudo aquilo que vivemos com esta pandemia, representou uma mensagem de que tudo é possível. É preciso acreditar, trabalhar e ter fé."

Mística do clube: "Ser um Dragão é ganhar sempre! Todos os jogos são para ganhar. As pessoas podem dizer. 'isso é assim em todos os clubes', mas aqui não há mesmo outro resultado possível. Costumo dizer aos meus companheiros de equipa que chegaram este ano que na Champions League é sempre para ganhar. Se não ganharmos as pessoas vão ficar chateadas. Não é por jogarmos contra um Liverpool ou um Manchester City que se perdermos está tudo bem. Nunca está tudo bem. Perdemos contra o Manchester City e nos dois dias seguintes foi como um funeral. Ninguém fala. Eu acho que querer ganhar sempre é algo de bom. Um clube perdedor é o pior que pode existir."

Sérgio Conceição: "A primeira vez que trabalhei com o mister Sérgio Conceição foi em França [quando foi emprestado pelo Porto ao Nantes]. Ele olhou para mim e disse: 'Tu estás gordo! Vais ter de perder quatro ou cinco quilos.' Eu fiquei a olhar para e disse: ‘OK!’ Durante esse tempo estive a adaptar-me ao estilo de jogo que ele adora, que se caracteriza por um grande impacto físico, de segundas bolas, de qualidade e de aposta tanto na largura como na profundidade. Eu passei um bocado mal e quando já estava finalmente a adaptar-me a esse futebol sofri uma uma lesão no joelho que me afastou durante mais de um mês.Tive poucas oportunidades para jogar no Nantes, mas nos treinos senti que evoluí muito durante esses quatro meses."

Continuidade: "No ano seguinte ele [Sérgio Conceição] veio para o Porto e eu pedi-lhe para ficar na equipa. Ele disse-me que se calhar era melhor eu sair para ter mais oportunidades de jogar, porque se ficasse se calhar ia jogar pouco. Respondi que queria fazer a pré-época e que ia agarrar o meu lugar. Ele disse: 'OK, mas tens de saber que não és a minha primeira opção'. Eu apenas disse: 'Não tenho problema com isso'. Fiz a pré-temporada e lembro-me que fiquei nove jogos na bancada. A minha estreia foi na fase de grupos da Champions League contra o Mónaco. Do nada ele chamou-me e disse-me: 'Olha, vais jogar. Confio em ti plenamente'. Foi inesquecível. Senti que podia confiar nele e que me ia ajudar em todos os aspectos. Temos os dois personalidades muito fortes e tivemos as nossas discussões, sempre com muito respeito, mas hoje em dia temos uma relação muito boa."

Por Pedro Morais
7
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas