Do primeiro contacto de Varandas à reação de Rúben Amorim: Salvador detalha negociações com Sporting

Presidente do Sp. Braga explica como se processou a saída e admite " frustração" por "formar treinadores para a concorrência"

António Salvador mostrou-se confiante no trabalho que Custódio pode vir a fazer no Sp. Braga nos próximos dois anos e meio, mas não deixou de lamentar que mais uma vez o clube tenha perdido um treinador. O presidente dos minhotos contou como se processou a saída de Rúben Amorim para o Sporting.

"As ocorrências dos últimos dias devem motivar uma reflexão desportiva e ética. O Sp. Braga foi surpreendido com um movimento de um clube seu concorrente, curiosamente o que nos persegue na tabela, e que, à luz dos regulamentos e dos contratos, conseguiu assegurar o nosso treinador", referiu durante a apresentação do novo treinador, Custódio Castro.

"O Sporting contactou-me, há pouco mais de uma semana, no regresso de Glasgow. O Frederico Varandas pediu uma reunião comigo e não me disse logo para que era. Fiquei surpreendido quando me disse que queria entrar em acordo para contratar o Rúben Amorim. Pôs as condições, determinada verba, dois jogadores mais uma percentagem do passe de Palhinha. O Sp. Braga não queria que o treinador saísse, não era o dinheiro, não era o passe de jogadores e não havia conversa. A reunião terminou, passou mais uma semana e continuou a haver notícias. Um dia chamo o Rúben Amorim e disse-lhe: 'Não quero que saias, tenho visto notícias que o Silas vai embora. O Sp. Braga não vai negociar com o Sporting, o Sp,. Braga quer renovar contigo, está disponível para renovar as condições salariais e portanto não há negociação. Quero ser claro é que se houver vontade tua, a única hipótese é o Sporting pagar os 10 milhões.' Ele sabia a oferta que o Sporting fez, disse que compreendia, que se o Sporting o quisesse teria de pagar o que estava contratualizado com o Sp. Braga", contou Salvador.

O líder dos minhotos afirma que Rúben Amorim "foi muito correto". "Quando falei com ele, numa segunda fase em que as notícias estavam a aparecer, até lhe propus a negociação e disse-lhe que só sairia pela cláusula. Ele respondeu: 'compreendo que estou num projeto e se o Sporting me quiser terá de cumprir o que está no contrato. Se não pagar fico cá, estou bem'."

António Salvador considera que não devia ser permitido os treinadores saírem desta forma, até porque o Sp. Braga já foi muito penalizado. "O Sporting foi correto porque veio falar comigo. Depois foi-lhes transmitido que se avançassem para o que estava no contrato nada havia a fazer", refere. "O Custódio não é o terceiro treinador esta época, são já quatro treinadores. Começámos com o Abel, mais uma vez o Sp. Braga foi surpreendido. O Abel tinha sim tinha muita vontade de ir. Depois veio o Sá Pinto, o Amorim e agora o Custódio. Isto mostra a grande estrutura, a grande organização que o clube tem, pois só assim consegue aguentar todos estes abalos. Este clube tem aqui pessoas que não se mostram, mas que dão a cara e a vida por ele", disse o líder os minhotos, emocionado. 

Salvador revela que Custódio ficará com um contrato de dois anos e meio e não escondeu uma frustração. "Claro que é uma frustração todos os anos ter de fazer equipa, todos os anos formar treinadores para a concorrência e para grandes clubes europeus. Mas também é gratificante para o Sporting, para nós custa muito, só nós sabemos o que passamos para que tudo isso seja colmatado sem que haja problemas ou desestabilização dentro do clube."

36
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sp. Braga

Notícias

Notícias Mais Vistas