Bruno de Carvalho: «Se for destituído e for tudo fidedigno, não me recandidato»

Diz porém que está "destituído por natureza", mesmo que saia vencedor da AG

• Foto: Lusa

Bruno de Carvalho garantiu esta quinta-feira que caso a votação da Assembleia Geral decorra de forma "fidedigna" e resulte na sua destituição, não volta a candidatar-se à presidência do Sporting.

"Se receber um não, e se tudo for fidedigno, não só não meto lá mais os pés a partir desse dia como escusam de me expulsar de sócio porque não me recandidato. A única coisa que vou pedir é para alguém ir buscar as coisas que são minhas ao escritório", assegurou à Sporting TV.

Em todo o caso, Bruno de Carvalho explicou que será destituído ainda que saia 'vencedor' da AG de sábado, pois será expulso de sócio: "O que vai acontecer no dia 23? Os sportinguistas vão decidir, mas tudo o que decidirem não tem interesse nenhum. Imaginem que 51 por cento votava pela não destituição. No dia 25 eles decidem a nossa expulsão. Para que é que os sportinguistas foram votar no dia 23? Eu já estou destituído por natureza. Seja via AG, seja via Comissão de Fiscalização. Se eu não saio do Sporting a 23, saio a 25".
A razão de não ir ao Altice Arena

Bruno de Carvalho explicou ainda o porquê de não ir à AG de sábado. Tudo porque para o presidente do Sporting haveria uma incompatibilidade de cargos: "Eu ia lá legitimar algo que não reconheço. Onde é que eu ia fisicamente estar nessa AG? Debaixo do Torres Pereira? Portanto, o presidente do Sporting ia a uma AG sentar-se numa cadeira onde estava Torres Pereira como presidente do clube… Isto faz algum sentido a alguém? Primeiro estatutariamente não posso. Eu não me importo de estar sentado com os sócios, mas ia estar subalterno de Torres Pereira, de Henrique Monteiro?".

Por Luís Miroto Simões
44
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas