Da "equipa com fome" à filosofia de Simeone no Sporting: Adán abre o livro sobre época de sonho

Guarda-redes dos leões colocou José Mourinho entre os melhores com quem trabalhou

José Mourinho teve um papel importante na carreira de Adán, como revelou o guarda-redes do Sporting em entrevista concedida ao jornal 'AS'. O técnico português treinou o espanhol no Real Madrid, entre 2010 e 2013, e deixou a sua marca no jogador que colocou o 'Special One' entre "os melhores" quando foi questionado sobre que treinador mais o marcou. 

"Tive a sorte de trabalhar com os melhores. Comecei na formação do Real Madrid com Fabio Capello. Depois José Mourinho, Pellegrini e mais tarde Diego Simeone. Os melhores do Mundo. É difícil destacar um. Todos são bons e tão diferentes. Ao chegar a uma certa idade vivemos tantas coisas nos balneários mais importantes com os melhores treinadores que faz com que leves as coisas com uma certa tranquilidade", destacou o guardião de 34 anos.

O segredo para as defesas decisivas

Adán foi um dos destaques do Sporting nesta época, que culminou com a conquista do título nacional 19 anos depois. O espanhol 'fechou' a baliza e foi obrigado a defesas de alto nível em alguns jogos. O segredo parece ser simples. 

"É certo que quando jogas num clube grande, e por sorte experimentei isso em momentos distintos, sabes que o rival vai ter poucas ocasiões. Isso leva-te a ficar num estado de concentração acima do normal para estar pronto no momento oportuno. Aprendi a fazê-lo com o passar dos anos. Estou contente por isso e, apesar de ter menos intervenções em alguns jogos, houve outros em que a equipa em circunstâncias pontuais precisou que eu estivesse ali. Outras vezes foram os meus companheiros. O bom no Sporting é que é difícil destacar um jogador em relação aos outros", explicou, sem esquecer que a mentalidade imprimida por Rúben Amorim se revelou importante para essa estabilidade defensiva, bem como para os golos decisivos nos minutos finais.

"Fez-nos ver que se éramos uma equipa que não sofria golos íamos estar vivos nos jogos. Depois éramos uma equipa com fome e que crescia. Havia qualidade e isso fazia com que nos minutos finais fizéssemos esses golos que buscávamos desde o início dos jogos", frisou. 

As conquistas de Sporting e Atlético Madrid... e de novo a Superliga

O Atlético Madrid conquistou a La Liga sete anos depois e Adán considerou serem conquistas idênticas às do Sporting até pelas mentalidades dos respetivos treinadores.  

"Conseguimos mudar a hegemonia de outros clubes poderosos, como fez o Atlético diante de Real Madrid e Barcelona após muitos anos sem ganhar o título. Aqui também se seguiu a filosofia de Diego Simeone de pensar jogo a jogo, essa também foi a nossa. Amorim dizia-nos que podíamos vencer qualquer equipa desde que jogássemos com rigor, sem pensar mais à frente. Ele incutiu-nos isso, mas estando consciente que dada a inexperiência da equipa também podíamos perder qualquer partida. Em tempos quando se falou da Superliga, onde não estava nenhuma equipa portuguesa, mostrámos que podíamos estar entre os melhores e na próxima época vamos disputar a Champions. Temos o nosso espaço entre os melhores", salientou o número '1' dos leões, que comentou ainda a polémica em que esteve envolvido a Superliga.

"Em Portugal viveu-se uma sensação de injustiça em relação ao resto das equipas. É certo que é preciso dar uma volta na Champions para torná-la mais competitiva, mas a forma como tudo foi feito não foi a melhor. Estou certo que no final sairá algo de positivo e diferente do modelo de Champions que temos hoje. Isto vai provocar mudanças que melhorarão a competição. Sem os grandes, com o Real Madrid a sair e o Florentino Pérez que planeou isto, estou certo que dessa Superliga sairá algo melhor do que temos e onde possamos estar todos", observou. 

Guarda-redes ganham outro destaque à vista das crianças

Apesar de hoje ser guarda-redes, a carreira de Adán nem sempre foi passada entre os postes. O espanhol começou por ser avançado e só depois passou a calçar as luvas. Algo que diz ser mais usual nos dias de hoje, muito por 'culpa' de nomes como Casillas ou Buffon. 

"Antigamente todos tinha um avançado como o ídolo, mas desde há alguns anos figuras como Casillas, Buffon e Oblak fazem com que as crianças queiram ser como eles. Agora é mais fácil do que antes. A imagem do guarda-redes cresceu muito e está mais valorizada. Agora vemos grandes transferências com guardiões e isso faz com que os miúdos desejem ser como eles. Agora os miúdos até já compram camisolas de guarda-redes", enalteceu.

Por Record
5
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas