Rúben Amorim: «Sporting é mais forte com Paulinho»

Técnico explica que o ‘21’ dá outras opções no jogo aéreo e tem mais presença na área adversária

• Foto: Sporting CP

Sem confirmar Paulinho no onze, para tentar confundir o V. Guimarães, Rúben Amorim admitiu ontem que o avançado está de volta aos convocados após lesão e salientou a importância deste regresso, numa altura em que a equipa procura refrescar ideias e encontrar novas soluções de ataque que possam surpreender os adversários.

“É mais uma opção. É uma boa notícia para a nossa equipa termos mais opções. Podemos jogar de formas diferentes. Quando falamos de criar dificuldades aos adversários, o Paulinho dá-nos coisas que não temos no plantel: mais jogo aéreo e é mais um homem de área. É mais um que pode ajudar. São características diferentes, e a equipa do Sporting é mais forte com ele”, atirou o técnico, na antevisão à partida da 24ª jornada da Liga, optando por esconder a estratégia quando confrontado com a possível utilização de uma dupla de ataque, formada pelo camisola 21 e por Tiago Tomás. “Vamos ver. Não vou estar a entregar tudo aqui. Já tivemos diferenças em certos momentos, a jogar com falso ‘9’, a jogar com dois na frente. Com um médio-defensivo mais declarado e outro a dividir o jogo mais na frente, ou os dois ao lado um do outro. Tentamos ir variando para melhorar a nossa fluidez de jogo e o tempo dá-nos isso. Portanto, vamos esperar.”

Amorim não escondeu que parte do trabalho realizado durante a semana teve como objetivo suprimir as dificuldades encontradas frente ao Santa Clara (2-1) e ao Tondela (1-0), tendo assumido que a equipa mostrou falta de intensidade no primeiro jogo e dificuldades na criação de oportunidades no segundo. “Foram jogos em que tivemos menos oportunidades, mas os adversários também. Eles preparam-se bem. Nós temos de evoluir como equipa, e aí a culpa não é dos jogadores. É do treinador”, afirmou Amorim, dando a receita: “O que nós temos de fazer é trabalhar, sabendo que o futebol é feito de momentos. O importante é ganhar e melhorar a forma de jogar, a fluidez do jogo. Temos isso na nossa cabeça, fazemos isso durante a semana.”

Bragança em lista de espera

Uma das soluções testadas pelo treinador leonino tem sido Daniel Bragança, mas o médio criativo tem pouca margem para poder conquistar um lugar. “O Dani tem crescido muito também, mesmo a nível físico. Lembro que é a primeira época dele, e as pessoas às vezes esquecem-se disso. Tem 21 anos, mas é a primeira vez que está na 1ª Liga. Tem tido um crescimento muito bom, vai ter mais oportunidades. Já merecia ter mais, mas a culpa não é minha. É do João Mário, do Palhinha e do Matheus Nunes. Por mim ele jogava, a culpa é deles”, justificou Amorim, por entre sorrisos.

E mesmo com o foco virado para dentro, o responsável verde e branco não deixou de destacar as virtudes do V. Guimarães, em particular no ataque. “Tem baixas na defesa, mas na frente tem jogadores do melhor que há em Portugal. Podem resolver e garantem a continuidade [do perigo] durante o jogo. Preparámo-nos para isso”, rematou.

Mendes e Palhinha “evoluíram muito”

Rúben Amorim salientou que as chamadas de Nuno Mendes e Palhinha à Seleção Nacional ficam a dever-se ao trabalho do próprio lateral e do médio. “É mérito deles e dos colegas. Evoluíram muito. O Nuno Mendes, nem é preciso falar da evolução dele... Dos sub-19, passou alguns jogos nos sub-23 e passado um ano [pode ser] internacional A”, invocou o treinador do Sporting, destacando Palhinha pela “justíssima chamada”: “Até Fernando Santos disse o mesmo, que ele tem características diferentes de todos os jogadores da Seleção Nacional. É mais uma opção e a Seleção fica mais forte.”

Jogada inteligente de Viana por Porro

O técnico leonino comentou ainda a convocatória de Pedro Porro para a seleção espanhola. Amorim revelou que o lateral “quando chegou tinha falta de confiança”, mas deu mérito ao diretor desportivo: “A forma como o Hugo Viana fez o contrato de dois anos [de empréstimo, com o City], hoje vemos que foi uma jogada muito inteligente”, elogiou. “Nós demos confiança. E o sistema ajuda-o”, acrescentou. Amorim admite que, agora, “no mundo da seleção espanhola”, Porro “tem de aproveitar o momento”, mas deixou o aviso: “Ainda há o V. Guimarães. O foco dele deve ser o jogo, já lho disse esta semana.”

Por Luís Mota
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas