Toni e o caso Cashball: «Tem de se ir até às últimas consequências para punir a mentira»

Antiga glória do Benfica abordou os atuais casos de corrupção que assolam o futebol

Eurico Gomes, Jaime Pacheco, Toni
• Foto: Simão Freitas
Toni foi perentório ao abordar o clima de suspeição que se vive hoje no futebol em Portugal numa semana marcada pelo caso Cashball.

"A corrupção não é do ou no futebol. A corrupção é um termo geral, mas passou para o futebol. Tem de se punir a mentira e os infratores até às últimas consequências. Isto é o reflexo do que acontece na sociedade. Temos de ter tolerância zero a tudo isso! Veja-se o que aconteceu em Itália. Deve acontecer o mesmo no futebol português!", disse, este sábado, à margem de uma homenagem à história da Seleção Nacional, em Vila do Conde. 

Por outro lado, o conceituado técnico falou das expectativas de Portugal para o Mundial'2018: "Há um ciclo que está a encerrar para alguns jogadores. Estamos num patamar onde há seleções que são favoritas porque estão sustentadas num passado de vitórias. Se há maior pressão para Portugal por ser campeão europeu? Não, então que dizer da Alemanha, Espanha, Brasil, Argentina... olhando para a sua história?"

Por último, Toni também deixou um desejo para a fase de grupos em que Portugal está inserido: "Olhando aos laços que tenho com o Irão e ao momento que a sua seleção está a passar, claro gostava que passassem Portugal e Irão".

Por Ruben Tavares
7
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas