Torres Pereira: «Seguramente que fiz inimigos»

Dá dois exemplos em que teve de intervir na Comissão de Gestão

• Foto: Paulo Calado
Artur Torres Pereira afirmou este domingo que fez inimigos no período em que presidiu a Comissão de Gestão do Sporting. O agora ex-dirigente leonino deu dois exemplos em que teve de intervir, mas disse não estar arrependido.

"Seguramente que fiz e seria de admirar não os fazer. Quem não faz é porque está a desempenhar as suas funções de forma redonda. Todos os que tomam decisões fazem inimigos. Houve divergências, dentro da comissão também. Houve dois elementos que saíram da comissão e integraram uma candidatura. Entraram em conflito com funcionários superiores do clube, um deles diretor do departamento de sócios. Um queria propor-lhe um processo disciplinar. O outro queria um processo ao Miguel Albuquerque. Nada na lei, nos estatutos prevê qualquer função. Desautorizei esses dois elementos. Iria criar um ruído tremendo quando a nossa função não era gerar conflitos, era contribuir para acalmar. A comissão não se tinha pronunciado nesse sentido, ao contrário do que um deles afirmou. Não estou nada arrependido, porque garantimos a paz interna. Se esses dois funcionários tivessem processos, pelo menos um deles teria abandonado o clube", relatou em entrevista à CMTV.
Por Luís Miroto Simões
3
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas