Bino Maçães e as notícias da ida de Pepa para o V. Guimarães: «Não é bonito»

Treinador diz que é tema que deveria merecer mais "ponderação", até por envolver dois treinadores no ativo

• Foto: Luís Vieira/Movephoto

O treinador do Vitória de Guimarães, Bino Maçães, admitiu esta terça-feira que vencer o Famalicão, amanhã, no jogo que encerra a 32.ª jornada da Liga NOS, pode ser um "passo importante" rumo às competições europeias.

A três rondas do fim do campeonato, a equipa ocupa a sexta posição, a última de acesso à Liga Conferência Europa, e o técnico admitiu que os seus pupilos terão pela frente um jogo "difícil", no qual se podem aproximar do objetivo, frente a um adversário que é 13.º classificado e luta ainda pela manutenção.

"Cada vez faltam menos jogos e a margem é menor. Se vencermos, damos um passo importante [rumo à Europa], mas nada ficará definido. Jogamos em casa, queremos manter a série vitoriosa, sabendo que é um jogo difícil, frente a um adversário difícil, com um treinador [Ivo Vieira] que conhece a casa. Teremos as nossas armas para conseguir um grande resultado", disse, na videoconferência de antevisão ao desafio a realizar-se em Guimarães.

Bino Maçães avisou, porém, que o Famalicão está "motivado" para "fazer um grande jogo em Guimarães, face ao 'embalo' da vitória caseira perante o Santa Clara (1-0) e à "equipa jovem de qualidade" que possui, com as ideias do treinador do Vitória na época 2019/20 já "assimiladas".

Certo de que o lateral-esquerdo Sílvio vai regressar após cumprir suspensão e de que o defesa-central Abdul Mumin também pode estar na convocatória para compensar a ausência do castigado Suliman, Bino Maçães disse não se queixar, realçando que a "ausência de uns é uma oportunidade para outros", promovendo a "competitividade interna" e o "crescimento da equipa".

Questionado ainda sobre o decréscimo de rendimento de Oscar Estupiñán, ponta de lança que tem oito golos no campeonato, mas não marca desde a 25.ª jornada, ao Tondela (derrota vitoriana por 2-1), o treinador admitiu "algum desconforto" em quem vive esse 'jejum', mas preferiu focar o rendimento da equipa.

"Não tem feito golos e sabemos que os avançados estão mais tranquilos quando isso acontece, mas o importante é a equipa marcar. Qualquer jogador da nossa equipa pode fazer golos. Ainda há pouco tempo não tínhamos golos dos centrais e o André Amaro marcou. Espero que os avançados possam voltar aos golos", disse.

O 'timoneiro' vimaranense criticou ainda as notícias que dão conta do ingresso de Pepa, treinador que anunciou no domingo oficialmente a saída do Paços de Ferreira no final da temporada, no Vitória de Guimarães, algo que deveria merecer mais "ponderação", até por envolver dois treinadores no ativo.

"Acho desagradável o que tem acontecido. As coisas deviam ser um pouco diferentes. Quando assumi a equipa A, fiquei só com o que resta da época. Sei o que pretendo para a minha carreira e o que foi falado com o presidente. O Pepa está no ativo e eu estou no ativo, mas é o futebol que temos. Acho que não é bonito", salientou.

O Vitória de Guimarães, sexto classificado da Liga, com 42 pontos, recebe o Famalicão, 13.º, com 34, em partida da 30.ª jornada, agendada para as 20H15 de quarta-feira, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, com arbitragem de Manuel Mota, da Associação de Futebol de Braga.

Por Record
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de V. Guimarães

Alerta nas contas

Conselho Fiscal exige “pronta apresentação do plano de recuperação” por parte da SAD

Notícias

Notícias Mais Vistas