Pepa: «É estranho porque só vejo o V. Guimarães a ser castigado com jogos à porta fechada»

Treinador dos minhotos fez a antevisão à receção ao Gil Vicente da última jornada da Liga Bwin

• Foto: Luís Vieira/Movephoto
Pepa, treinador do V. Guimarães, fez este sábado a antevisão da receção dos minhotos ao Gil Vicente, último jogo desta temporada da Liga Bwin, que se joga amanhã pelas 20h30.

O que podemos esperar da despedida?


"Vamos ter tempo para fazer o balanço. Lembro-me muito bem de uma altura em que estavam várias equipas na luta pelo 5.º e nós estávamos afastados. Se temos o sentimento de não termos conseguido o 5.º é porque alimentamos essa esperança até ao fim. Já dei os parabéns ao Ricardo, agora dou a todo o plantel do Gil Vicente pela época fantástica. Tentamos de tudo, não o conseguimos, mas conseguimos muitas coisas, muitas coisas positivas dentro de muita turbulência. Se me têm dito no inicio da época que assinava o 6.º lugar mesmo sabendo que ia acontecer isto tudo ao clube, eu não assinava. Jogadores e treinadores não iam assinar isso, alimentamos a ambição até ao fim, fizemos sempre tudo".

A ausência do público neste derradeiro jogo...

"Foi uma forma de já não cumprir na próxima época. É um bocado estranho porque só vejo o Vitória a ser castigado com jogos à porta fechada. Não vejo isto a acontecer noutros lados. Ainda agora tivemos uma situação vergonhosa com a questão do Rochinha. Temos de saber estar no futebol. Quando é com o Vitória levamos sempre por tabela".

Com duas equipas sem nada a perder, podemos esperar um grande jogo?

"É uma pena não podermos contar com o público, mas é uma opção. Tem tudo para ser um grande jogo. As pessoas não deixaram de vir à despedida com os jogadores, apesar da chuva e trovoada. O Gil Vicente teve uma regularidade ao longo da época, não teve grandes problemas com lesões, conseguíamos identificar o onze tipo. A nós aconteceu-nos muitas coisas. Percebemos onde podemos melhorar nesse aspeto. As coisas positivas vamos continuar a fazer. Não há contas a ajustar com o Gil Vicente, reconhecemos que foi uma equipa mais regular. Queremos acabar em beleza com uma vitória e um grande jogo".

Qual foi o principal problema que o Vitória teve ao longo da época para voltar a não conseguir um lugar entre os cinco primeiros?

"O que falhou? Alguma inconstância, irregularidade em termos exibicionais. Ainda falta um jogo, a final da Taça, que nos pode dar uma competição europeia. A Conference League vai ter a final entre o Feyenoord e a Roma. O 4. lugar do Sp. Braga e o 5.º do Gil dão a Conference League, é uma competição europeia. Se não estivéssemos no 6.º lugar já não estávamos a pensar numa competição europeia. Estamos às portas de uma competição europeia, melhoramos a classificação da última época. Não podemos desvalorizar o 6.º lugar por querermos estar a olhar para o 3.º ou 4.º. Queremos mais. Temos jogadores que nos últimos anos passaram por duas direções, cinco treinadores, mais team managers. Eles não são robots. Tentamos de tudo para blindar, mas não é fácil. O grande desafio da Direção e do treinador é termos estabilidade, independentemente dos nomes ou da idade. Vejo muitas coisas boas aqui, mas temos muitas para melhorar, que não podemos empurrar para o lado. Temos de melhorar todos, quando digo todos tem a ver com estabilidade e entrosamento. O clube é enorme, mas isto é um gigante que tem de ser acordado. É terrível estar no sofá à espera de algo que nos possa levar para fora de Portugal. Se não tivéssemos conquistado o 6.º lugar já não estávamos à espera disso".

Pondera fazer mais mudanças na equipa neste último jogo?

"As oportunidades conquistam-se desde o primeiro dia de trabalho, por que haveríamos de estar à espera do último dia da época. É uma semana diferente porque foi a última, um sentimento de nostalgia".
Por Bruno Freitas
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de V. Guimarães

Notícias

Notícias Mais Vistas