Pepa lembra dificuldades no início da carreira: «À noite, valia tudo para me aquecer»

Treinador do V. Guimarães recordou, nas redes sociais, a passagem pelo Tondela como adjunto de Filipe Moreira

• Foto: Paulo Calado
Pepa tem vindo a partilhar memórias da carreira nas redes sociais com o mote 'Nunca desistas dos teus sonhos'. Na mais recente, o atual treinador do V. Guimarães lembrou um convite recebido em 2010 que foi decisivo para o seu futuro. 

"No final da temporada 2009/10, surgiu o convite do Tondela para ser treinador-adjunto de Filipe Moreira na Segunda Divisão B. Pode não parecer, mas foi aqui que ganhei a certeza: vou ser treinador", escreveu Pepa, que na altura se viu obrigado a tomar decisões e fazer escolhas difíceis. "Faltava-me a teoria e decidi inscrever-me no curso superior de Educação Física. Infelizmente, não consegui atingir esse objectivo, pois entre pagar propinas e meter pão na mesa para as minhas filhas não havia dúvida", recordou o técnico, que viria a ser treinador principal do clube beirão entre 2017 e 2019, alcançando por três vezes a manutenção na 1.ª Liga. 

"Vivia em Aveiro e entre deslocações, portagens e alimentação ficava sem um euro ao final do mês. Desistir? Nunca! Decidi pedir aos outros adjuntos Luís Freire e o Zé Barbosa se podia dormir em casa deles", contou, lembrando as dificuldades que teve de ultrapassar na Beira Alta, sobretudo no inverno: "Fiquei a dormir em sótãos, águas-furtadas e acrescentos em Tondela onde os invernos podem ser muito duros. À noite, valia tudo para me aquecer. Luvas, cachecóis, gorros e na manhã seguinte dava asas à minha paixão: o treino."

Apesar de todas as contrariedades, Pepa vincou que para atingir os objetivos nunca se pode desistir. "Quando fazemos o que gostamos acreditamos até ao fim!"

Por Record
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de V. Guimarães

Notícias

Notícias Mais Vistas