Record

A vida de Gauld em Portugal: da possível dupla nacionalidade ao amor pelo café

Jovem escocês diz estar a adorar viver no nosso país

• Foto: Movenotícias
Em Portugal desde 2014, Ryan Gauld chegou com o rótulo de Messi escocês, mas em quatro anos continua sem impôr o seu futebol da forma como se previa. Na equipa principal do Sporting disputou apenas cinco jogos (todos em 2014/15), foi cedido em duas ocasiões (a V. Setúbal e Aves), mas mesmo o jovem galês, agora com 22 anos, assegura que a sua vida em Portugal tem correspondido às expectativas.

"Não sabes quando a tua oportunidade chegará e tens de estar pronto para ela. Não faço apenas o suficiente. Dou sempre o máximo. Ainda assim, sinto que progredi muito desde que vim para Portugal. Posso não ter os minutos de jogo que o comprovem, mas acredito que sou um melhor jogador", considerou o jovem escocês, que admitiu a possibilidade de pedir a dupla nacionalidade dentro de alguns meses: "Pode dar jeito já que a Grã-Bretanha vai sair da União Europeia". Ainda assim, não se pense que Gauld ambiciona atuar na seleção portuguesa: "É o sonho de qualquer miúdo atuar na sua seleção e eu tive a honra de jogar pela Escócia desde os Sub-16".

E mesmo que a sua vontade não passe por representar Portugal, Gauld admite que viver no nosso país tem sido bastante positivo. "Adoro estar cá. Falo a língua de forma fluente e é engraçado ver a forma como aprecias as pequenas coisas. Comecei a gostar imenso de café (expresso). Na Escócia custa duas libras (2,30 euros) e aqui anda à volta de 40 pence (50 cêntimos). Por isso, ando o dia todo a tomar...", admite o jovem, que mesmo assim aprecia bem mais aquilo que o nosso país lhe deu enquanto pessoa.

"Tive de crescer de forma muito mais rápida. Na Escócia e Inglaterra teria sido mais fácil, mas tive de aprender uma nova língua e cultura. Tornou-me na pessoa que sou agora. Acredito que os meus melhores dias ainda estão para vir. Estou mais forte, melhor do que era, mas preciso de uma oportunidade. Sei que é tudo à base da paciência, mas isso pode ser complicado. Darei tudo para ser bem sucedido aqui. Só quero jogar", frisou.

E se o aspeto pessoal foi transformado, também o jogador Gauld mudou. "Trabalhei muito nisto. Não se trata de massa muscular, mas sim em tornar-me mais forte no sentido atlético. Já o fiz e continuo a trabalhar nisso. [No plano do jogo] evoluí maioritariamente no plano defensivo. Vim para cá com 17 anos e agora o meu conhecimento defensivo é muito maior. Do ponto de vista tático tenho maiores certezas do meu posicionamento. Tenho de ser capaz disso antes de entrar em campo. Gosto de acredito que sou o miúdo que é capaz de fazer o jogo avançar, criar oportunidades e marcar uns golos. Isso não vai mudar".

Com contrato com o Sporting até 2020, o escocês está em Portugal há quatro anos, ainda sem grandes oportunidades na equipa principal, mas esse facto não o desmotiva. "Sabia que não iria acontecer do dia para  anoite. Assinei um contrato de seis anos e é tudo à base da paciência. Senti que quanto mais tempo cá ficasse, melhor seria. Sinto isso. Sei que sou um jogador melhor e uma pessoa mais madura agora", concluiu.
Por Fábio Lima
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Aves

Notícias

Notícias Mais Vistas

M