Mais de mil adeptos celebraram regresso do Belenenses às Salésias

Alegria a rodos no seio de um emblema “consagrado e popular”, como diz o hino do clube

As Salésias voltaram a pintar-se de azul, numa tarde diferente de futebol. Para os mais antigos foi um recuar no tempo, aos anos das grandes conquistas do clube. Já para os mais jovens foi um dia para gravar na memória, pois a maioria nunca tinha pensado ver uma equipa sénior do Belém a jogar no local onde se sagrou campeão nacional na época 1945/46.

O encontro com o Amavita era da 6ª Divisão, mas isso, neste caso, não interessava a nenhum dos presentes. Era o seu Belém, as camisolas azuis e a Cruz de Cristo em campo e era para isso que estavam ali, para apoiar, apoiar sempre porque, como cantam, a paixão deles não tem divisão.

Foi bonita a festa, com mais de um milhar de adeptos nas Salésias, entre os 800 das bancadas e os restantes espalhados à volta do campo. Uma festa que honraria a memória dos rapazes da praia, os jovens que fundaram o clube há 100 anos, pois assentou nas raízes de um clube "consagrado e popular", como diz o hino. Uma festa que não envergonharia nenhum dos jogadores que durante este largo período representou o clube. De Artur José Pereira e Pepe a Matateu e Vicente, ontem presente.

A romaria começou horas antes do início do jogo, com marcha desde o Estádio do Restelo às Salésias, pelas velhas ruas de Belém. Paragem na casa onde viveu Pepe, um dos primeiros grandes craques do futebol português e que só representou o Belenenses. Depois, a tarde passada a cantar à volta do campo, em comunhão do sentimento belenense e, no final, festa com os jogadores, no relvado.

Três bisam num jogo sem história

O Belenenses ganhou 8-1 ao Amavita. Um jogo sem grande história, a confirmar a excelente época dos azuis neste seu primeiro ano a competir no último escalão da AF Lisboa. Para uma equipa que lidera com 17 pontos de avanço e com mais de 100 golos marcados, outro resultado não seria de esperar frente ao 14º classificado.

Ainda assim, para o histórico, ficam os marcadores dos golos do Belém: José Santos (2), Viegas (2), Afonso Alcario (2), Evandro e Serra. Com este resultado, o Belenenses chegou aos 70 pontos, com 114 golos marcados e 12 sofridos.

Final vai jogar-se no Estádio 1.º de Maio

O Belém tem 17 pontos de avanço, mas ainda não é matematicamente vencedor da Série 2 da 1.ª Divisão da AF Lisboa, pois o Porto Salvo tem um jogo em atraso. Faltam cinco jornadas e, depois desta fase, os azuis disputam o título com o vencedor da Série 1 – neste momento é o Bocal –, numa final que está marcada, embora ainda por anunciar, para o Estádio 1.º de Maio, em Lisboa.

Vicente feliz por voltar à sua casa

Vicente é um nome incontornável do Belenenses e da história do futebol português. O antigo defesa internacional, presente no Mundial’66, é hoje o maior símbolo vivo do clube do Restelo e, apesar de estar já com 83 anos, não podia faltar à festa de ontem. No final do jogo, falou com Record.

"Estou muito feliz. Foi uma festa bonita, nunca pensei que voltaria a ver o Belenenses jogar nas Salésias. Estive no último jogo aqui disputado [em 1956, portanto, há 63 anos]. Não gosto de ver o clube disputar esta divisão, mas foi o rumo que as coisas levaram. No entanto, esta festa, todos estes Belenenses aqui presentes, mostram que o clube está vivo, que nunca vai acabar", disse, emocionado, o senhor Vicente.

Taira já pensa no próximo ano

Taira, antigo médio do Belenenses, é agora o responsável pelo futebol sénior do clube. No final, o dirigente estava satisfeito com esta primeira subida. "Correu dentro do planeado. Cumprimos com a subida e no próximo ano vamos jogar para subir novamente, nem pode ser de outra forma. Temos sempre de lutar pela subida", afirmou.

Beberam mais de mil cervejas

O bar por trás de uma das balizas não esteve um minuto sem clientes. Entre bifanas e cachorros, águas e sumos, a bebida eleita para combater o forte calor foi a cerveja. A venda não é permitida nos jogos dos escalões profissionais, mas nas distritais é à antiga e ontem, segundo o dono do bar, serviram-se mais de mil imperiais.

Benfiquista foi alvo de 'bocas'

Faltava cerca de uma hora para o jogo começar e já uma mancha azul inundava as Salésias. Entre tantas camisolas com a cor do clube, foi fácil identificar uma bem diferente. Um adepto benfiquista resolveu passar por ali, mas mal deram pela sua presença, começaram as bocas. "Vai-te embora daqui!" E ele foi mesmo.

Belenenses regressou ao mítico Campo das Salésias num dia especial

Por Miguel Amaro
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Belenenses

Notícias

Notícias Mais Vistas