Patrick Morais de Carvalho: «Aliciam de modo camuflado»

Releva ações por parte da SAD

• Foto: Luis Manuel Neves

RECORD - O que não está a ser cumprido em termos de formação?

PMC –É uma aposta do clube e há uma receita da UEFA para apoio ao futebol de formação de cerca de 50 mil euros/ano que a SAD retém, além dos direitos de formação. Os jogadores são aliciados de modo camuflado pela SAD, que só pode ter contratos profissionais, e assinam vínculos que não são registados. O Gonçalo Tavares, que se vinculou por seis anos, é um exemplo. Se formos ao cadastro de jogadores como Varela e Nuno Tomás, verificamos que são amadores na FPF. Desta forma não se vencem os direitos de formação. Esta SAD nunca os pagou. O clube vai enviar esta conta-corrente para o Tribunal Arbitral. Isto para já não falar das contas de água, luz e gás. Cobramos 10 por cento e mesmo assim não recebemos.

R - Há uma parceria com a Bluedream na formação. Como se repartem os lucros?

PMC - Parceria até aos sub-14. Os miúdos pagam 35 euros por mês, as receitas entram no clube e daí são pagas as despesas com treinadores, o coordenador João Raimundo, inspeções médicas, inscrições, viagens, alimentação, etc. No final, o lucro é dividido em partes iguais entre o Belenenses e a Bluedream. A partir dos sub-15, verticalizei a estrutura e convidei João Raimundo para ser o diretor-geral do futebol de formação.

R - Uma das divergências com a SAD é a requalificação do Restelo?

PMC – Não, porque a Codecity e a SAD não têm nada a ver com isso. É um projeto do Belenenses. Fomos à Câmara, onde nos disseram existir um projeto com horas despendidas por técnicos em parceria com o arq. Miguel Saraiva, o projeto Rui Ribeiro. Quando tivermos o PIP [Pedido de Informação Prévia] faremos o licenciamento de cada parcela. Haverá concurso internacional e os candidatos apresentarão uma maquete, um plano financeiro e propostas mediante um programa do concurso e um caderno de encargos. Em todos pediremos contrapartidas desportivas. Vamos já avançar com o primeiro concurso, um colégio para o qual há autorização condicionada à aprovação do PIP. Nenhum promotor vai financiar-se à custa dos terrenos do Belenenses.

R - Garantiu, entretanto, a exploração do bingo...

PMC – Uma concessão sem prazo e encontrámos um parceiro que garante as melhores contrapartidas ao clube, que voltará a ter o seu nome na sala. O clube fica a receber uma retribuição fixa, acrescida de uma variável. Estou certo que esta será uma aliança duradoura. 

Por João Pedro Abecasis
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Belenenses

Notícias

Notícias Mais Vistas