Artur: «O que fez a diferença foi acreditar sempre que era possível»

Ex-guardião encarnado destacou a regularidade da equipa

• Foto: Pedro Simões

O antigo guarda-redes do Benfica Artur Moraes destacou a regularidade das águias na conquista do tri, bem como a crença demonstrada mesmo quando "estava atrás" na classificação da Liga NOS.

"Gostava de deixar uma mensagem de parabéns aos jogadores do Benfica. Quem vive o Benfica diariamente, sabe que não foi um ano fácil. As coisas começaram de uma maneira um pouco conturbada, mas, para bem da família benfiquista, as coisas ajeitaram-se e, no final, a alegria maior é a conquista do tricampeonato merecidamente", afirmou à Lusa o guarda-redes que passou pelo Benfica entre 2011 e 2015.

Atualmente a jogar nos turcos do Osmanlispor, o brasileiro, de 35 anos, considerou a regularidade das águias como o ponto forte para a conquista do campeonato.

"O que fez a diferença foi o acreditar sempre que era possível vencer. Mesmo quando estava atrás, o Benfica não deixou de acreditar que, quando as coisas se acertassem como equipa, como estrutura, ia estar muito forte. A regularidade que conseguiu alcançar fez toda a diferença e levou o Benfica ao tri", sublinhou.

Na hora de recordar o clube português, Artur não esqueceu os adeptos: "Passamos pelo clube e o clube continua e o que nos deixa mais feliz é estar sempre forte, a ganhar, porque os sócios merecem. São adeptos diferentes, que não se encontram pelo mundo".

Com mais de 100 jogos como guarda-redes do Benfica, Artur Moraes deixou rasgados elogios aos atuais donos da baliza encarnada.

"Fico extremamente feliz pelos dois (Ederson e Júlio César). Tiveram uma grande importância na equipa, o Júlio a jogar três quartos do campeonato, o Ederson a parte final e fico feliz porque a baliza está bem servida, com dois grandes guarda-redes, com muita qualidade. Tenho de relembrar o Paulo Lopes, figura importantíssima no dia a dia para todo o grupo. São três guarda-redes e três grandes pessoas", reiterou.

O guarda-redes elogiou também o compatriota Jonas, destacando a conquista do prémio de melhor marcador do campeonato, com 32 golos.

"Fico feliz pelo Jonas. Além de grande jogador, é grande pessoa. O ano passado, passou-lhe ao lado a conquista do prémio de melhor marcador do campeonato, mas este ano conseguiu. Acho que vem comprovar a sua qualidade e merece tudo o que tem alcançado no Benfica", frisou.

O Benfica sagrou-se tricampeão português de futebol no domingo, feito que não conseguia desde 1976/77, ao vencer na Luz o Nacional por 4-1, em encontro da 34.ª e última jornada da Liga NOS.

O argentino Gaitán, aos 23 e 65 minutos, o brasileiro Jonas, aos 65, e Pizzi, aos 84, marcaram os golos da formação comandada por Rui Vitória, que terminou a prova com um recorde de 88 pontos, contra 86 do Sporting, de Jorge Jesus.

A formação encarnada consolidou a liderança do ranking dos campeões, ao somar o 35.º troféu, contra 27 do FC Porto e 18 do Sporting, enquanto o Nacional, pelo qual marcou Salvador Agra, aos 90+1 minutos, ficou em 11.º, com 38.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.