Benfica admite perdão parcial se hacker disser quem lhe pagou

Rui Pinto foi detido pelas autoridades

Os encarnados admitem um perdão parcial de Rui Pinto. Especificando, deixarão cair o crime de extorsão, se o pirata informático disser quem lhe pagou para fornecer os emails.

O Benfica sempre considerou estar perante uma "rede criminosa". Essa tese foi reforçada este mês, após terem sido divulgados documentos da PLMJ Advogados. "A face visível dessa rede criminosa tornou-se pública quando, através do Porto Canal, o diretor de comunicação do FCP surgiu como porta-voz do roubo dos emails", sublinharam, então, as águias.

Reagindo à detenção de Rui Pinto, a SAD presidida por Luís Filipe Vieira fez saber, em nota no site, que "estará à disposição das autoridades", esperando "que este seja um passo importante para que se chegue à verdade e às motivações que possam ter estado por trás de um crime que tantos danos causou e continua a causar ao Benfica". "Este é o tempo da Justiça e da Investigação. O Benfica respeita e seguirá atentamente o desenvolvimento do processo", promete-se.

Pena pode chegar até aos 10 anos

O diretor da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica, Carlos Cabreiro, revelou ainda, em conferência de imprensa, que "alguns dos crimes cometidos podem ir até aos 10 anos de prisão". Nos últimos meses, Rui Pinto terá divulgado informação privada do Benfica e de outras empresas, e por isso, é o principal suspeito da Polícia Judiciária de ter cometido os crimes de extorsão qualificada na forma tentada, acesso ilegítimo, ofensa a pessoa coletiva e violação de segredo. Este ‘hacker’ terá estado, alegadamente, na origem dos ficheiros revelados pelo Football Leaks, um portal na internet que divulgou contratos e outros documentos relativos a transferências de jogadores.

Por Nuno Martins e Pedro Ponte
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas