O Benfica foi o clube mais lucrativo da Europa, entre os que foram campeões das respetivas ligas europeias, na época 2016/2017, segundo dados do estudo "The European Champions Report" elaborado pela KPMG.

De acordo com a análise à performance financeira dos 12 clubes campeões nacionais das ligas europeias, o Benfica registou um lucro de 44,5 milhões de euros, com o estudo a destacar mesmo o facto dos encarnados terem duplicado o lucro depois de impostos face ao apresentado em 2015/2016. Além do Benfica, os clubes analisados foram: Real Madrid, Monaco, Besiktas, Celtic, Chelsea, Basileia, Bayern Munique, Spartak Moscovo, Viitorul, Feyenoord e Juventus.

As venda dos jogadores Victor Lindelöf, para o Manchester United, e de Gonçalo Guedes, para o Paris Saint-Germain, são os principais responsáveis por este resultado, segundo o estudo, tendo gerado, respetivamente, lucros de 23 e 26 milhões de euros. Assim, o Benfica registou um crescimento anual de 2% em termos de receitas operacionais. No entanto, o estudo realçar também que, tal como outros clubes de fora dos principais mercados, o clube da Luz está bastante dependente das receitas das competições da UEFA, que representam 22% das receitas operacionais totais.

Já o Real Madrid foi o clube que obteve as maiores receitas operacionais, 671 milhões de euros, mas também é o clube que tem a maior folha de pagamentos: houve um "aumento de 32% nos custos com pessoal eleva esta despesa para um valor de 406 milhões de euros.

De referir ainda que o Monaco foi o clube que registou o maior crescimento anual - 86% - tendo obtido uma receita de 144 milhões de euros.