Benfica: «Tiago Martins estaria distraído à procura de moedas de 5 cêntimos para alegar escoriações...»

Águias falam em penálti por assinalar frente ao Rio Ave e apontam a Tiago Martins

O Benfica considera que é "incompreensível" que tenha ficado um penálti por assinalar no lance que precedeu o segundo golo do Rio Ave, no jogo dos quartos-de-final da Taça de Portugal realizado terça-feira no Estádio da Luz.

"Infelizmente, temos de referir que é incompreensível que a referida grande penalidade tenha ficado por assinalar (e que, frisamos, anularia o segundo golo do Rio Ave). Apesar da ação faltosa evidente do jogador vila-condense, julgamos que se deverá conceder o benefício da dúvida ao árbitro devido às características do lance, reconhecendo-se a dificuldade em ajuizar a falta em bola corrida. No entanto, consideramos inexplicável que sendo as imagens tão claras e tão obvias, o VAR não tenha intervindo em prol da verdade desportiva", pode ler-se na newsletter diária das águias.

As críticas das águias prosseguem: "O VAR, neste caso, foi Tiago Martins, o que nos leva questionar com compreensível ironia se, no caso em questão, estaria distraído à procura de moedas de cinco cêntimos para alegar escoriações, hematomas ou sabe-se lá que outras maleitas no peito. Porém, distraído não estaria certamente passados alguns minutos, em que se percebeu, pela rápida decisão de Artur Soares Dias em rever o lance no monitor, que Tiago Martins pronta e solicitamente indicou um possível erro de análise numa grande penalidade assinalada... a favor do Benfica. Parabéns pela decisão acertada! Só é pena que acerte mais nuns casos que noutros".

Polémica na Luz: Benfica pediu penálti e Rio Ave marcou logo depois

1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.