Record

Bossio ainda quer mostrar o verdadeiro valor

ARGENTINO ADMITE QUE A SUA EXIBIÇÃO FRENTE AO BAYERN DE MUNIQUE ”DEU BRONCA”

Bossio ainda quer mostrar o verdadeiro valor
Bossio ainda quer mostrar o verdadeiro valor

CARLOS Bossio foi a principal figura, pela negativa, no jogo da passada terça-feira frente ao Bayern de Munique. O argentino teve culpas nos dois golos sofridos pelos encarnados e logo no dia em que o ”monstro” Preud’homme fazia a sua despedida. Um dia após o desaire ante os germânicos, Bossio fez o balanço da sua exibição admitindo que a mesma causou alguma celeuma.

”Estou tranquilo apesar de termos perdido o jogo e da minha exibição ter dado alguma ’bronca’. Ninguém gosta de sofrer golos, especialmente num dia de festa como o de ontem (terça-feira)”, começou por afirmar. Quanto aos muitos adeptos presentes na Luz, Bossio agradece o apoio de alguns e diz que o seu real valor está longe de ser aquele que foi mostrado frente ao campeão alemão. ”Os adeptos não viram o verdadeiro Bossio. Ainda tenho muito para melhorar. É compreensível que as pessoas tenham ficado algo chateadas mas quero aproveitar para agradecer o apoio que alguns adeptos me deram no final do jogo e isso é muito importante para mim”, afiançou. O argentino lembrou ainda a mudança de país e de tipo de futebol, pedindo algum tempo para se adaptar aos novos métodos de trabalho.

”Não me sinto cansado. Contudo, reconheço que ainda não estou a 100% e totalmente adaptado a um novo país e a um novo futebol. Tudo leva o seu tempo e em breve estarei melhor, pois a equipa também está a trabalhar muito bem.”

Carlos Bossio não escondeu também alguma emoção por ter substituído Preud’homme, na despedida deste, perante quase 80 mil espectadores. ”Foram muitas emoções juntas. O público foi espectacular e nunca tinha visto uma coisa assim em toda a minha vida. Foi impressionante”, concluiu o argentino.

EXPLICA OS GOLOS

Bossio acedeu a comentar os dois golos sofridos frente ao Bayern de Munique.

”No primeiro, um jogador alemão remata de muito longe e a bola sofre uma alteração de trajectória. Entretanto, já tinha dado um passo em frente e quando me lancei já era tarde. No segundo tive azar pois o adversário não queria fazer aquilo. Ele chutou mal a bola e acabou por ter sorte ao fazer o golo. Foi muito mau para nós porque esse azar custou-nos a derrota perante o nosso público”, comentou. Explicações à parte, a verdade é que ontem no início do treino, o treinador de guarda-redes Walter Junghans explicou a Bossio como deveria ter actuado nas duas ocasiões.

Também Jupp Heynckes falou com o jogador no final do encontro. ”Sim, o treinador falou comigo depois do jogo mas isso são conversas que ficam no balneário.”

Quanto à concorrência ou a perda da titularidade, o argentino remete as decisões para o treinador dos encarnados. ”É sempre difícil jogar no Benfica. Há três guarda-redes e qualquer um deles pode jogar. Estes jogos amigáveis também servem para rodar todos os jogadores mas o treinador é que vai decidir quem jogará durante a época. No entanto, vou continuar a trabalhar da mesma maneira que tenho feito até aqui”, asseverou.

JOÃO RUI RODRIGUES

Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

M