Bruno Costa Carvalho promete convidar Eriksson para diretor desportivo

Promessa eleitoral do assumido candidato à presidência do Benfica

• Foto: Reuters

Sven-Goran Eriksson poderá voltar à Luz em outubro mas não na condição de treinador como aconteceu nas duas passagens anteriores. O sueco, de 72 anos, será convidado por Bruno Costa Carvalho caso o assumido candidato à presidência do Benfica vença as eleições à presidência em outubro.

"O meu projecto assenta na construção de um Benfica muito grande na Europa e, enquanto treinador, Eriksson levou-nos a uma final da Taça UEFA e a uma final da Taça dos Clubes Campeões Europeus (a última em que estivemos presentes)", sustentou o empresário portuense numa publicação efetuada através da conta de Facebook.

Leia a mensagem na integra:

Sven-Goran Eriksson será convidado para diretor desportivo do Sport Lisboa e Benfica no caso de eu ganhar as eleições: por um Benfica empolgante e glorioso, com nível europeu

No Benfica o foco tem de residir na conquista de todos os troféus a nível nacional e em prestações europeias de grande nível equivalentes às nossas épocas douradas.

Há que, urgentemente, reduzir o fosso que nos separa dos emblemas mais poderosos da Europa e assumir, sem tibiezas, uma inequívoca liderança interna.

Para tal, considero ser necessário ter uma estrutura forte e coesa, multidisciplinar, com mentalidade vencedora, liderada, claro está, por um Diretor Desportivo que garanta que o todo é superior à soma das partes.

Como já tinha dito há uns dias, essa posição terá de ser ocupada por uma pessoa conhecedora da realidade do Benfica, que saiba o que o clube representa em termos nacionais e internacionais, e que disponha de uma larga experiência e conhecimento sobre todos os aspectos que envolvem a alta roda do futebol.

Sven-Goran Eriksson é quem desejo para ocupar esse lugar decisivo: o de responsável máximo pelo futebol do Benfica, ocupando o lugar de Director Desportivo na estrutura que pretendo criar.

O meu projecto assenta na construção de um Benfica muito grande na Europa e, enquanto treinador, Eriksson levou-nos a uma final da Taça UEFA e a uma final da Taça dos Clubes Campeões Europeus (a última em que estivemos presentes).

Eriksson tem uma plena percepção da grandeza do Benfica. Para além disso, detém uma ampla rede de contactos em todos os países que dominam o futebol. É uma figura ímpar e histórica do nosso clube e do futebol mundial.

Sublinho que não existe qualquer acordo com Eriksson e ele não estará envolvido em qualquer campanha eleitoral. No entanto, reitero que é minha intenção que Sven-Goran Eriksson assuma o cargo de Diretor Desportivo mal eu seja eleito.

Não chega ser o maior clube português, o Benfica tem que aproximar-se do topo do futebol europeu para participar com sucesso nas competições onde está o verdadeiro dinheiro e onde está o verdadeiro futuro dos grandes clubes.

Ao longo da nossa gloriosa e centenária história, sobressaem exemplos de tornar real o que se sonhou como as campanhas europeias nas décadas de 60 e 80. Quando muitos não acreditavam, o Benfica provou que estavam redondamente equivocados.

Eriksson, então com 34 anos, ingressou no Benfica em 1982. Chegou como desconhecido e a sua contratação gerou controvérsia, pese embora ter erguido a Taça UEFA na temporada anterior ao leme do IFK Gotemburgo. Quando saiu da Luz, Eriksson era já um treinador consagrado e deixou muitas saudades.

Fruto dos seus métodos revolucionários, da forma entusiástica como colocou a sua equipa a jogar, e do seu pecúlio de títulos, convenceu, definitivamente, a massa associativa e arrecadou um lugar eterno no trono benfiquista.

Dissipou dúvidas e superou toda e qualquer expectativa ao garantir uma "dobradinha" na primeira época, com a conquista da Taça de Portugal a ser lograda em pleno estádio das Antas ante o FC Porto. Teve, ainda, o condão de colocar o Benfica de novo na ribalta do futebol europeu aos nos ter guiado até à Final da Taça UEFA.

Teve duas passagens (ambas marcantes) pelo nosso clube, de 82/83 a 83/84 e de 89/90 a 91/92. Conduziu-nos à conquista de 3 Campeonatos Nacionais, 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça.

Contribuiu indelevelmente para o Benfica consolidar o seu lugar entre os maiores da Europa, tendo alcançado uma final da Taça UEFA e uma final da Taça dos Clubes Campeões Europeus. A nossa última presença numa final da principal competição de clubes do continente europeu remonta a 1990 e foi, justamente, com Eriksson como nosso timoneiro.

Eriksson liderou durante largos anos a Seleção Nacional de Inglaterra, tendo, igualmente, orientado clubes como a Roma, Fiorentina, Sampdoria, Lazio, Manchester City e Leicester City.

A forma apaixonada como o consagrado treinador sueco sempre se dirigiu ao Benfica reflecte bem a sua ligação ao nosso clube. "Um dos maiores clubes do mundo", como o próprio afirma.

Eriksson, com a nossa vitória nas eleições, terá de novo a missão de fazer do Benfica um dos maiores clubes da Europa, agora em novas funções.

Todos p’lo Benfica!

Por Flávio Miguel Silva
12
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.