Caso Vera: Carta de Ana Gomes não preocupa os encarnados

Fonte do clube da Luz fala em "desconhecimento da eurodeputada"

• Foto: Rui Minderico

A eurodeputada Ana Gomes solicitou, em carta enviada à Procuradoria-Geral da República (PGR) e à Polícia Judiciária (PJ), a abertura de uma investigação à transferência de Francisco Vera [na foto] dos paraguaios do Rubio Ñu para o Benfica. Fonte do clube da Luz, contactada por Record, garantiu que essa pretensão não preocupa, pois assenta em "factos falsos", além de que "mostra desconhecimento da eurodeputada".

Na missiva, datada de 7 de setembro e divulgada pela própria, Ana Gomes aponta "indícios sobre a possível prática de crimes de branqueamento de capitais" relativos à contratação de Vera ao Club Rubio Ñu, a troco de 2,8 milhões de euros. Dessa forma, não hesita em pedir à PGR e à PJ que "procedam às diligências necessárias para averiguar o caso".

A eurodeputada socialista lembra notícias recentes, que "reportam indícios sobre a possível prática de crimes de branqueamento de capitais". Em causa estão acusações de lavagem de dinheiro e evasão fiscal, denunciadas no final de agosto pelo diário ‘Hoy’, do Paraguai, relacionadas com a contratação de Vera, em 2015.

Depois de o caso ter vindo a público no Paraguai, o Benfica demarcou-se do processo, garantindo que pagou, na totalidade , os 2,8 milhões de euros, versão ontem reforçada pela mesma fonte. Os meios de informação daquele país informaram ainda que o avançado, de 22 anos, deixou de jogar, mas está cedido ao Fénix, do Uruguai. Os encarnados estão tranquilos, nada receando relativamente a este processo.

34
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.