Record

Benfica pode ficar até três anos sem competir

CM avança que acusação do processo e-toupeira pede castigo pesado para os encarnados

• Foto: Vítor Chi
O 'Correio da Manhã' avança que o Ministério Público, no âmbito do processo E-Toupeira, pede uma pena acessória de inibição de participação em competições desportivas, podendo este castigo levar o Benfica a ficar entre seis meses e três anos sem competir caso seja atendida a pretensão dos acusadores – esta ainda não é conhecida, uma vez que a própria acusação ainda não foi notificada aos respetivos visados, depois de finalizada a fase de instrução. 

Além disso, a SAD encarnada e e os outros agentes imputados com o crime de corrupção – como é o caso do assessor jurídico da sociedade anónima benfiquista, Paulo Gonçalves – poderão também incorrer , ao abrigo do regime de responsabilidade penal por comportamentos suscetíveis de afetar a verdade desportiva, na privação do direito a subsídios, subvenções ou incentivos outorgados pelo Estado e demais pessoas coletivas públicas por um período de um a cinco anos.

Lembre-se que esta terça-feira o Ministério Público constituiu como arguidos a SAD do emblema da Luz, Paulo Gonçalves e ainda dois funcionários judiciais, que terão espiado informações de processos a correr na justiça contra o Benfica.

O clube da Luz já reagiu em comunicado, considerando que a acusação do MP é "absurda e injustificada".
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

M