Controlo de jogo incentiva fair play

Benfica não via tão poucos cartões há 22 anos e supremacia pode explicar números

• Foto: Vítor Chi

O Benfica não lidera apenas a tabela classificativa. Também no campeonato do fair play, as águias seguem na frente, sendo, até ao momento, a equipa mais disciplinada da Liga NOS. É que além de nenhum jogador das águias ter visto um cartão vermelho, o Benfica é a equipa com menos amarelos contabilizados. Record procurou a explicação para estes números e, para tal, ouviu um ex-árbitro, Hélio Santos, assim como Paulo Madeira, antigo defesa [ver textos em anexo]. O habitual controlo do jogo por parte da equipa, nos jogos do campeonato, é visto como a principal razão para que a equipa não seja muito punida.

Quando faltam quatro jogos para o fim do campeonato, os árbitros puxaram do cartão para castigar benfiquistas apenas 61 vezes. Nacional da Madeira (65) e Sporting (66) são as outras duas equipas menos admoestadas, embora os madeirenses já tenham visto quatro jogadores castigados por duplo amarelo e um por vermelho, enquanto os leões viram quatro jogadores ser expulsos diretamente.

Para encontrar um registo melhor no historial das águias, com campeonatos disputados entre 18 equipas, é necessário à época 1993/94, quando o Benfica também se sagrou campeão, na altura sob o comando técnico de Toni. Contudo, nessa temporada, a equipa viu dois duplos amarelos e um vermelho direto.

Cinco baixas por castigo

Se já houve adversários a contestar a tolerância dos árbitros para com os jogadores benfiquistas, quem tem de estar satisfeito com este rendimento disciplinar é o técnico Rui Vitória que, desta forma, vê, com pouca regularidade, elementos impedidos de jogar devido a castigo. Até ao momento, só teve cinco indisponíveis fruto da acumulação de amarelos – Samaris (7), Eliseu (6), Jardel (5) Renato Sanches (5) e Mitroglou (5).

A título de curiosidade, a última vez que um jogador do clube da Luz viu um cartão vermelho foi na época passada, no terreno do Rio Ave, onde a equipa entra em campo amanhã. Luisão saiu mais cedo do terreno de jogo, após ser expulso, aos 85’, pelo juíz Marco Ferreira.



Paulo Madeira: «Reflexo da forma de jogar do Benfica»

"Quem percebe de futebol vê que os jogadores do Benfica jogam sem qualquer maldade. Não há amarelos pois é uma equipa agressiva no sentido positivo. O Benfica é uma equipa com muita posse de bola. Esta situação leva os adversários a perderem a cabeça, e isso acaba por originar muitas faltas contra o Benfica, que normalmente são penalizadas com cartões. Basta ver o estilo de jogo do Benfica e, com todo o respeito do Mundo que tenho pelo Luisão, não posso deixar de admirar a forma como Jardel e o Lindelöf têm encarado os lances pois raramente fazem uma falta na abordagem aos adversários. Penso que esta questão dos cartões amarelos acaba por ser um reflexo da forma de jogar do Benfica."

Hélio Santos: «Os árbitros têm agido em conformidade»

"A situação é anormal pois raramente vemos uma situação destas no historial do campeonato, mas pelo que temos assistido não creio que o Benfica devesse ter expulsões. Se analisarmos todos os lances ao detalhe na televisão podemos ver uma ou outra situação, mas isso são contingências do jogo e, até ao momento, os árbitros têm agido com toda a conformidade. A situação explica-se pelo sistema tático do Benfica que é muito ofensivo pois, só no campeonato, marcou 80 golos. Esta forma de jogar proporciona poucas infrações pois quando uma equipa tem mais posse de bola a possibilidade de fazer faltas diminui. Em Portugal há ruído sobre a arbitragem e não tenho dúvidas que tudo vai melhorar com as novas regras anunciadas pelo Pedro Proença."

Por João Soares Ribeiro e Valter Marques
5
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.