Jonas ficou fora do encontro com o FC Porto devido a desgaste acumulado, apurou Record. Perante as limitações, avançado e treinador entenderam que o melhor seria não arriscar a sua utilização no clássico, dada a importância do jogo.

Ausente da partida com o V. Setúbal, em consequência de queixas na região lombar, durante a última semana, Jonas criou a expectativa de que estaria em condições de defrontar os dragões, de acordo com as informações recolhidas pelo nosso jornal. E isto considerando a forma como o melhor marcador do campeonato se treinou.

A verdade é que Jonas, de 34 anos, acabaria por ficar fora do ‘jogo do título’, nem sequer se sentando no banco. Na véspera, Rui Vitória havia antecipado essa possibilidade. Mesmo que o tivesse convocado, traçou três cenários. "Se fosse hoje [sábado], possivelmente não jogaria. Amanhã [domingo] poderá jogar a tempo inteiro, poderá estar no banco e entrar ou não estar em condições para ir a jogo."

Ora, o nosso jornal sabe que o camisola 10 sentiu um desconforto físico, consequência também do desgaste acumulado ao longo da temporada, daí ter ficado no camarote, de onde assistiu à derrota dos encarnados.

Atrás de Pizzi

Depois de uma temporada marcada por uma lesão grave, que o fez perder metade da campanha, Jonas é agora um dos mais utilizados por Rui Vitória em 2017/18. Soma 39 presenças em 43 jogos do emblema da Luz. Está apenas atrás de Pizzi, que leva 41. Ou seja, por ter ficado fora dos desafios com V. Setúbal e FC Porto, ‘permitiu’ que o médio se destacasse na liderança dos futebolistas das águias com mais presenças.

Raúl Jiménez, que rendeu o brasileiro, também já foi utilizado em 39 jogos, mas contabiliza menos minutos em campo (1181’). Aliás, Jonas faz parte do trio que já ultrapassou os 3.000 minutos de utilização, a par de Pizzi e André Almeida. O avançado, que não havia ficado fora dois jogos seguidos, tenta agora recuperar para o encontro com o Estoril, a 21 de abril. A presença na Amoreira vai depender da forma como evoluir nos próximos dias, sendo certo que nesta altura está em dúvida.

Segunda melhor época em número de presenças

Aconteça o que acontecer, esta já é a segunda melhor época de Jonas no Benfica no que a número de presenças diz respeito. Já participou em 39 jogos, 35 dos quais como titular. Se atuar nas últimas quatro jornadas, o avançado chegará aos 43. Melhor, só mesmo em 2015/16, a segunda temporada de águia ao peito, primeira com Rui Vitória ao leme. Jonas fez 48 jogos, sendo que em 44 começou de início. Foi totalista no campeonato, com 32 golos, o que lhe permitiu sagrar-se melhor marcador. Juntando todas as competições, fez 36 disparos certeiros, tantos quantos os que tem agora. Na prova de regularidade também melhorou o registo, tendo 33 golos. A ausência dos últimos dois encontros deixou-o, todavia, longe dos 40 golos na Liga, objetivo que definiu recentemente.


Autores: Nuno Martins e Valter Marques