Negócio Lucas Veríssimo à beira da rutura após novo chumbo do Conselho Fiscal do Santos

Conselho Fiscal do Peixe apresentou o seu parecer negativo e Conselho Deliberativo voltou a não votar o tema

O Conselho Fiscal do Santos apresentou, em reunião nesta madrugada de sexta-feira, o seu segundo parecer negativo à proposta do Benfica por Lucas Veríssimo. Desta forma, o Conselho Deliberativo do Peixe, à semelhança do que aconteceu na reunião anterior, não votará este assunto, deixando o negócio à beira da rutura. O CF entende que os moldes desta transferência "afetarão gestões futuras" do clube, avança a imprensa brasileira.

Recorde-se que o Benfica ofereceu um valor bruto superior (6,5 milhões de euros) ao que o Al Nassr apresentou (5,4 milhões de euros), mas as condições eram "piores para o Santos".

O Benfica pretendia pagar o jogador em cinco parcelas (uma por cada ano) até agosto de 2025. Isto levaria o Santos a antecipar o valor total da transferência através de uma instituição financeira belga, com uma taxa de custos entre 5,2 e 5,5 por cento do valor total. Somando os pagamentos de 10% ao jogador e 15% ao seu agente, o Peixe ficaria apenas com cerca de 3,8 milhões de euros.

Já o Al Nassr disponibilizou o pagamento em duas parcelas, uma imediatamente após o jogador assinar contrato e outra até 31 de janeiro de 2021. O Santos teria de pagar os mesmos 10% a Lucas Veríssimo e 15% ao empresário, mas com a vantagem de não precisar de antecipar pagamentos, pelo que entrariam nos cofres do clube cerca de 4,2 milhões de euros, aproximadamente mais 400 mil euros do que a proposta feita pelo Benfica.

Por Record
50
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.