Record

Giovanni Trapattoni: «Sp. Braga fechou bem e tentou contra-ataque»

JUSTIFICA EMPATE PELA ESTRATÉGIA ADVERSÁRIA

Giovanni Trapattoni: «Sp. Braga fechou bem e tentou contra-ataque»
Giovanni Trapattoni: «Sp. Braga fechou bem e tentou contra-ataque» • Foto: Paulo Calado
O empate registado frente ao Sp. Braga não desanimou Giovanni Trapattoni. O treinador do Benfica realçou a organização do adversário e lembrou que a equipa ainda está no primeiro lugar.

"Creio que os adeptos assistiram a um bom jogo. Era importante marcar para começarmos a jogar em todo o relvado mas não foi possível. O Sp. Braga estava muito bem organizado, pois fechou bem e tentou sair em contra-ataque. Foi um desafio muito difícil", adiantou.

Apesar de ter perdido os dois primeiros pontos na SuperLiga, o italiano voltou a mostrar confiança no grupo de trabalho que orienta: "O resultado que alcançámos pode desiludir um pouco os adeptos, mas não podemos esquecer que mantivemos o primeiro lugar. O nosso adversário é um conjunto muito perigoso. Tivemos três boas ocasiões na primeira parte mas não fomos capazes de concretizar. A equipa agora tem a possibilidade de mostrar o seu carácter."

No passado sábado Trap havia falado nos perigos da euforia. Questionado sobre o peso desse factor no empate consentido, defende: "Os meus jogadores lutaram e trabalharam muito durante todo o encontro. Nesse aspecto estou muito satisfeito com eles. Mesmo o Geovanni, que veio de uma paragem."

Alterações

Com o resultado em 0-0, o técnico tentou alterar o rumo dos acontecimentos com as entradas de Karadas e Geovanni. Convidado a explicar a razão pela qual só fez duas substituições, Trapattoni esclareceu: "Não tínhamos outras opções. Se não tenho uma 'arma para matar' não vou efectuar alterações. O resultado registava um nulo e no banco só tinha o Zahovic que é um médio centro. Para o fazer entrar teria de tirar o Karadas ou o Sokota. No meio-campo podia fazer descansar o Manuel Fernandes, mas a nossa dificuldade residia na frente."

Reforçando a sua ideia acrescentou: "Um treinador quando está sentado no banco de suplentes sente sempre a necessidade de alterar os acontecimentos através de substituições. Quando se está a ganhar por 1-0 é mais fácil. Como já referi, o adversário estava bem organizado e obrigava-nos a ir à linha para tentar cruzar, em vez dos lançamentos verticais. O Nuno Gomes também ainda não está no seu melhor, o que me levou a apostar na dupla Karadas/Sokota."

Para terminar, o treinador informou que irá fazer "algumas alterações" no jogo da Taça UEFA agendado para quinta-feira, devido à deslocação a Guimarães.

Simão: «Muito complicado»

"Foi um jogo bastante complicado como, aliás, já estávamos à espera. Durante toda a segunda parte, os jogadores do Sp. Braga estiveram quase sempre todos atrás da linha da bola. Essa atitude muito defensiva por parte do adversário ainda tornou as coisas mais difíceis."

Ricardo Rocha: «Ganhámos um ponto»

"Estivemos bem na primeira parte, mas durante a segunda também tivemos algumas oportunidades de golo. Só que, infelizmente, hoje [ontem] não foi possível marcar. Ganhámos um ponto e o mais importante é que estamos na frente. Há que continuar a trabalhar."
16
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Benfica

Ferreyra na porta da saída

SAD quer libertar um avançado e o argentino está aberto a escutar propostas para jogar com maior regularidade. Na Luz, está ‘tapado’
Notícias

Notícias Mais Vistas

M