Record

Paulo Almeida, ídolo de Itarantim

RETRATO DA VIDA DO CRAQUE BRASILEIRO

Maria dos Santos, a mãe, fala de uma "graça de Deus" quando falta pouco mais de dois meses para o filho atravessar o Atlântico. Treinadores e lendas como Pelé ou Zito descarregam elogios para descrever a arte do internacional brasileiro que hoje completa 23 anos. Em dia de festa, uma mágoa: passou a reserva desde que foi revelado o seu acordo com o Benfica. O Santos, certo de que a partir de Junho vai perder o último talento retocado na sua formação, aposta em Claiton. A vida continua…
Paulo Almeida, ídolo de Itarantim • Foto: Lancepress
Falta pouco para as seis da tarde no Brasil. Record procura contactar telefonicamente Neildes de Oliveira, repórter do semanário "Jornal do Sudoeste". "Alô! Neildes? Não, não é. Moço, é engano. Fala Caliane. É de Portugal? Espere aí, é mesmo verdade que Paulo Almeida vai jogar no Benfica?..." Em Itarantim, cidade de poucos recursos no interior do Estado da Bahia, não existe rede de telemóveis. A chamada, pasme-se, foi desviada para uma amiga (!) do próprio Paulo Almeida, residente numa localidade próxima, Itapetinga. "Conheço bem o Paulo, mas o irmão, que tem o apelido de Bizuca, está muitas vezes em minha casa", contou, vaidosa. Itarantim, com os seus cerca de 20 mil habitantes, está tão excitada quanto angustiada. Se a transferência do ídolo para o Benfica deixa a população deliciada, a impaciência ganha forma com a falta de informações. Luciano Matos, amigo pessoal do jogador e da restante família, é dos poucos que tem acesso à Internet por satélite: "Todos os dias, a família e os amigos me perguntam se há novidades."

Crente

Paulo Almeida é o orgulho de uma cidade que admira a sua determinação em vencer. "Vou conseguir ser profissional", disse ao irmão Eduardo, quando em 1997 regressou de Minas Gerais, onde esteve sete meses ao serviço do Cruzeiro. "Não o quiseram mais, mas ele não desanimou", lembra o irmão, coordenador do desporto na Prefeitura de Itarantim. Voltou a jogar futsal pela selecção distrital e num jogo disputado em Itapetinga "partiu a loiça", ao conquistar todos os troféus individuais: Jogador Revelação, Melhor Jogador e Melhor Marcador.

Luciano Lacerda, um baiano da mesma cidade, que haveria de se tornar seu agente, levou-o ao Santos. Foi o início de uma aventura vitoriosa. Cinco anos depois, Luís Filipe Vieira, de férias na Bahia, foi apresentado a Lacerda. Nasceu a amizade, umas viagens a Lisboa, seguiu-se a estratégia e o negócio, com o ano de 2004 a arrancar, consumado em segredo. A descoberta, meses depois, acabou por relegar Paulo Almeida para o banco de suplentes. "Em Janeiro, a directoria tentou renovar o contrato, mas não deu. Disse que não tinha pressa… Agora, percebemos porquê. Não há problema. Só espero que não me envergonhe", desejou o treinador, Emerson Leão.

Comunidade benfiquista

De facto, resta esperar por Junho, altura em que termina o seu contrato com o Santos. "Ele passou para nós que existe um pré-contrato com o Benfica e que tem de aguardar", confirma a mãe, Maria dos Santos, num turbilhão de emoções: "É uma recompensa de Deus. Já só falamos todos no Benfica. Vai ser uma tristeza vê-lo partir para tão longe, mas uma alegria imensa por saber que vai melhorar a sua vida." O Benfica vai ganhar, com toda a certeza, uma nova comunidade de adeptos, pois a família de Paulo Almeida torcia toda pelo Flamengo antes do ingresso no Santos: "O meu pai, que era todo Flamengo, agora é do Santos até morrer."
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

M