Petit e a força do Benfica: «Hoje são Rafa e Pizzi, amanhã Raul de Tomás e Seferovic»

Treinador e antigo médio antevê clássico Benfica-FC Porto

Um eventual triunfo do Benfica sobre o FC Porto no clássico da terceira jornada da Liga NOS pode abalar o futuro imediato dos dragões, defende o ex-jogador Petit, que representou os encarnados durante seis anos.

"O Benfica está numa boa fase, ganhou a Supertaça e tem dois jogos e duas vitórias no campeonato. O FC Porto tinha como primeiro grande objetivo a entrada na Liga dos Campeões e não o conseguiu, depois teve também a derrota com o Gil Vicente no primeiro jogo. [Este clássico] Não é decisivo para o FC Porto, porque ainda é muito cedo, mas abala um pouco a confiança dos seus jogadores se não conseguir um resultado positivo na Luz", afirma.

Em declarações à agência Lusa, o antigo internacional português considera, porém, que "não há favoritos" em embates entre duas equipas desta dimensão, apesar de valorizar o fator casa e a manutenção "dos mesmos jogadores" na equipa orientada pelo técnico Bruno Lage. Questionado sobre os 'trunfos' Rafa e Pizzi, com ambos a atravessar um grande momento, Petit prefere destacar a força do coletivo encarnado.

"A força do Benfica é pelo seu todo. Hoje, estão o Rafa e o Pizzi a fazer golos, amanhã estão o Raul de Tomás e o Seferovic. Os avançados vivem de golos, mas também têm de trabalhar para que outros, como Pizzi e Rafa, apareçam e criem oportunidades. Nesta fase, são o Rafa e o Pizzi num bom momento em termos de golos, mas há também outros aspetos, como o próprio Lage disse, e os avançados têm trabalhado para que o conjunto sobressaia", sublinhou.

O arranque do Benfica em 2019-20 traduz-se, essencialmente, em duas alterações na equipa-tipo de Bruno Lage face à temporada transata, com as entradas de Nuno Tavares para o lugar do lesionado André Almeida e de Raúl de Tomás para a posição que ficou vaga após a saída de João Félix. Por isso, o ex-treinador, agora com 42 anos, não espera grandes mexidas na equipa para este 'clássico'.

"Do que tenho visto de Bruno Lage, não vai fugir muito aos seus padrões e ao seu modelo de jogo. Pode trocar Chiquinho por Raúl de Tomás, mas a ideia e as rotinas de jogo estão lá. Jogando em casa e com as coisas a correr bem, acredito que vai manter os mesmos jogadores que têm jogado", sublinha, reiterando a expectativa de "um grande jogo".

Em análise ao FC Porto, Petit reconhece mudanças significativas em relação a 2018-19, em virtude das saídas de Felipe, Éder Militão, Herrera e Brahimi, e, por isso, defende que o técnico Sérgio Conceição e os novos 'reforços' portistas precisam, fundamentalmente, de tempo.

"O Sérgio Conceição tem a sua ideia e o seu modelo de jogo: uma equipa com muita intensidade, com jogadores rápidos a explorar muito a profundidade. Acredito é que os jogadores também têm de se adaptar às ideias do Sérgio para a equipa e tem de se dar tempo para se conhecerem", explica o ex-técnico do Marítimo.

O Benfica-FC Porto, referente à terceira jornada da Liga, está agendado para este sábado, às 19 horas, no Estádio da Luz.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0