Record

Simão Sabrosa: Um talento especial para as bolas paradas

EXTREMO JÁ FEZ ESTA ÉPOCA MAIS GOLOS DE ''PENALTY'' E LIVRE DO QUE EM 2001/02

Simão Sabrosa: Um talento especial para as bolas paradas
Simão Sabrosa: Um talento especial para as bolas paradas • Foto: João Trindade
Simão está no topo da Bota de Ouro, mercê de um talento especial para as boas paradas. O extremo benfiquista apontou, através de livres directos ou de grandes penalidades, os sete golos até agora alcançados.

Ontem, pela primeira vez, o jogador dos encarnados cometeu mesmo a proeza de apontar dois golos de livre directo num só jogo. Este cometimento garantiu a vitória do Benfica nos Açores, frente ao Santa Clara, e constituiu um feito inédito na carreira do jovem avançado que o clube da Luz recrutou ao FC Barcelona.

À nona jornada da SuperLiga, Simão já tem mais golos de bola parada do que em toda a temporada passada e prepara-se para bater o recorde pessoal de 11 tentos numa só época, conseguido em 2001/2002, a primeira ao serviço do Benfica.

É mesmo lícito dizer-se que o extremo benfiquista virou agora atenção para os livres directos. Depois de um início de campeonato bastante proveitoso na concretização de grandes penalidades, Simão começou a ver resultados na cobrança de faltas. Frente à União de Leiria apontou, dessa forma, o terceiro golo do Benfica. Ontem, operou a reviravolta do marcador, com dois pontapés inspirados.

As bolas paradas ganham, por outro lado, grande peso nos índices de concretização do conjunto da Luz, constituindo quase metade dos golos apontados pela formação orientada por Jesualdo Ferreira.

Golos de Simão são sinónimo de vitória

O Benfica ainda não venceu na presente edição da SuperLiga sem que Simão tivesse marcado. Frente ao Marítimo, Beira-Mar, Moreirense, U. Leiria e Santa Clara, o extremo apontou pelo menos um golo e os encarnados obtiveram os três pontos. Sem golos de Simão, a turma da Luz não ultrapassou o Nacional, V. Setúbal, FC Porto e Académica.

Polémica

Dois lances duvidosos marcaram o jogo. Na primeira parte, Mantorras caiu na área, mas a falta de Paiva teve lugar fora dela. No segundo tempo, a bola, rematada por Simão, embateu no braço de Luís Soares. Prevaleceu o critério de Jacinto Paixão. O árbitro considerou que o disparo do benfiquista foi efectuado à "queima-roupa", tomando assim como involuntária a acção do açoriano.

Curiosidades

O Santa Clara apontou, no seu reduto, o primeiro golo ao Benfica da história. Nos dois outros encontros já disputados em São Miguel, os açorianos tinham averbado uma derrota por 3-0 e conseguido um nulo na temporada passada.

Sete jogadores do Benfica foram admoestados com cartões na partida de ontem. Esta época os encarnados só fizeram pior no encontro com o FC Porto, das Antas. Também houve cartões para sete jogadores, mas dois deles foram expulsos por duplo amarelo.

Quatro benfiquistas estrearam-se a titular: Cristiano, Carlitos, Andersson e Mantorras.
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

M