Record

Trapattoni: «Sofremos um golo fruto de ingenuidade»

ELOGIOU OS JOGADORES MAS PEDIU MAIS EXPERIÊNCIA

“As vitórias conseguem-se com experiência e nós temos que estar atentos. Hoje sofremos um golo que foi fruto de uma ingenuidade. Ainda cometemos mais duas ou três e não o devemos fazer”, alertou Trapattoni, ontem, após o final do jogo.

O italiano lançou o aviso – disse que o fez inclusivamente no balneário – mas também elogiou a atitude dos jogadores, que conseguiram manter-se na frente da SuperLiga: “Este resultado é muito, muito importante, pois mantivemos a liderança.

Tivemos um pouco de sorte – marcar nos descontos é sempre
sorte – mas fiquei contente com a equipa, porque a reacção no final foi demonstrativo de grande carácter.”

Trapattoni voltou a elogiar o Gil Vicente – “não merecia o último lugar” – e explicou depois a forma como decidiu iniciar a partida. “Optei por começar com mais um médio, Zahovic, pensando que depois podia fazer alterações. Na segunda parte, com o Karadas e o Sokota, criámos duas oportunidades para empatar mas não conseguimos. Nessa altura a equipa estava ‘leve’ e precisávamos de mais ‘peso’ na frente”, referiu, afirmando ainda, contudo, que Karadas e Sokota, “normalmente, não são compatíveis”. “No entanto, há alturas num jogo em que todos têm que o ser. É certo que causaram grandes dificuldades à defesa do Gil Vicente”, referiu.

Expulsão de Fyssas

O treinador desvalorizou as ausências de Miguel e Petit – “não vou dizer que jogámos mal porque eles não vieram” – e falou ainda da expulsão de Fyssas: “Não sei se foi falta. Sei que foi o segundo amarelo e o árbitro estava muito perto... O Sokota também me disse que foi puxado mas os jogadores são sempre assim...”

Álvaro Magalhães: «Muito consentido»

Álvaro Magalhães não gostou de ver a facilidade com que o Gil Vicente chegou à área do Benfica e apontou um golo, perante a passividade da defensiva encarnada. “Podíamos ter marcado, mas não o fizemos. Depois, sofremos um golo muito consentido, a meu ver inadmissível, em contra-ataque”, considerou o adjunto de Trap às emissoras de rádios, reconhecendo, todavia, que o tento de Simão “caiu do céu”.
Álvaro também falou em duas grandes penalidades a favor do Benfica que ficaram por marcar. “Tenho consideração por este árbitro, mas penso que há dois ‘penalties’. Vou ter de analisar melhor os lances.”
18
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

M