Miguel Leal: «Este clube é grande e precisa de grandes exigências»

Treinador diz que os jogadores têm de se habituar a isso

• Foto: Simão Freitas

O treinador do Boavista vaticinou esta quinta-feira "um jogo equilibrado" com o Estoril Praia, no sábado (20h30), para nona jornada da Liga NOS, e referiu que a sua equipa terá de ser forte se quiser ganhar.

Na antevisão desse jogo, que terá lugar no Estádio do Bessa, no Porto, Miguel Leal começou por afirmar que "gostava" que a sua equipa mantivesse "o padrão" ofensivo exibido diante do Marítimo, na ronda anterior (1-1), e "que, eventualmente, conseguisse fazer isso com mais constância".

"Defensivamente, gostava que fôssemos mais rigorosos e capazes de cumprir aquilo que andamos a treinar com mais regularidade, consistência e qualidade, porque isso é meio caminho andado para se ganhar", completou.

Miguel Leal quer que os seus jogadores entrem em campo "sempre para ganhar", tendo salientado que "esse espírito tem que estar presente desde o primeiro minuto, sabendo que é muito difícil e que o adversário também é forte".

O técnico conta com o apoio dos adeptos 'axadrezados', recuperou a tese de que o Bessa deve ser "uma fortaleza" e recomendou "um bocadinho de paciência na fase de construção, mas com "rigor na exigência".

"Este clube é grande e precisa de grandes exigências e os jogadores têm que se habituar a isso", considerou.

Miguel Leal insistiu que é importante criar "um ambiente forte" nos jogos caseiros, "porque isso é uma mais-valia para a equipa".

"Os nossos adeptos são muito fervorosos e queremos que esse clima forte se potencie, porque com o tempo isso começa a funcionar a nosso favor", opinou.

O Estoril-Praia, segundo Miguel Leal, distingue-se mais pelo seu poderio atacante do que pela capacidade defensiva, sendo "uma equipa tecnicamente bastante evoluída" e que "tem 60% dos golos obtidos de bola parada".

Para o técnico boavisteiro, o facto de o Estoril ter sido eliminado da Taça da Liga, na quarta-feira, pelo Moreirense (1-0), tanto pode levar a um "toque para reunir as tropas" do adversário como para um "crescendo de ansiedade".

"Sei que vai ser um jogo equilibrado, que vamos ter aqui um adversário forte e nós também temos que ser fortes se queremos ganhar. A lógica tem que ser essa", frisou,.

Para este jogo, o Boavista não pode contar com o defesa direito Tiago Mesquita, que fez um rutura muscular na coxa esquerda no embate com o Marítimo, e estará ausente cerca de quatro semanas.

O médio senegalês Mohamed Daf foi esta semana reintegrado nos treinos, após uma ausência prolongada devido a lesão.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Boavista

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.