Murro na mesa no balneário em Chaves

Presidente Vítor Murta ouviu as queixas dos adeptos e reuniu com o grupo

• Foto: José Ponteira

A eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, caiu muito mal junto dos responsáveis do Boavista. O ambiente de descontentamento em relação ao rendimento da equipa e ao técnico Lito Vidigal, novamente expulso do banco, inflamou os adeptos e levou a uma intervenção imediata do presidente Vítor Murta, que se deslocou à bancada onde se situavam os apoiantes dos axadrezados, auscultando as queixas por uma exibição muito abaixo do que era esperado e que comprometeu mais uma competição depois da saída prematura da Taça da Liga.
 
A comitiva do Boavista criou mesmo algum desconforto em Chaves pela demora inusitada em abandonar as instalações do Estádio Municipal. Isto porque, depois de sentir o agastamento dos adeptos que compareceram em Trás-os-Montes para dar o seu apoio, tanto Vítor Murta como a administração da SAD mantiveram uma reunião de emergência no balneário, durante mais de uma hora, em que toda a situação foi escalpelizada em conjunto com o plantel e o treinador. 

A Taça de Portugal era uma grande aposta do Boavista, dizendo muito aos adeptos e ao presidente Vítor Murta. Recorde-se que, em recente encontro com a comunicação social, e tendo o técnico ao lado, o líder do xadrez foi muito claro. "Queremos a sexta Taça de Portugal", disse tendo o Estádio do Bessa como cenário, lançando o repto para um feito histórico que não foi devidamente acolhido pelo grupo de trabalho.


 

Por Vítor Pinto
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Boavista

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.