Xeque-mate sem corolário

Jorge Simão deverá manter a sua confiança na mesma estrutura defensiva

• Foto: Ricardo Nascimento

O Boavista cometeu demasiados erros defensivos frente ao Benfica e a derrota foi o preço mínimo de tanta falta de concentração, mas a ideia de o técnico Jorge Simão penalizar o xeque-mate não deverá ter um corolário à altura. Pelo menos na deslocação a Santa Maria da Feira, na jornada que se avizinha.

Coerência deverá ser o argumento para o técnico manter a sua confiança na mesma estrutura defensiva que convidou o Benfica a ganhar o jogo, caso contrário o responsável terá de mudar os quatro defesas.

Isto porque, se os lapsos de Carraça e Neris resultaram em golo, também é verdade que Raphael Silva e Talocha tiveram deslizes semelhantes. A diferença entre as consequências resume-se ao equilíbrio do guardião Helton, que fechou o ângulo a Pizzi, no erro de Raphael, e antecipou a trajetória no desvio para autogolo de Talocha. 

Por Pedro Malacó
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Boavista

Sempre em alerta

Lito Vidigal não precisa de outros exemplos para saber que não pode facilitar em Chaves

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.