Chaves ganhou 1.300 novos sócios no ano passado

Presidente flaviense disse que massa associativa cresceu 27,65% num ano

PUB

O Chaves atingiu no sábado os 6 mil associados e ganhou no último ano perto de 1.300 novos sócios, adiantou à Lusa o presidente do emblema da Liga NOS, Bruno Carvalho.

"Em 2016 procedemos à renumeração dos associados e na Assembleia Geral de março de 2017 apresentámos 4.702 sócios, o que significa que em pouco mais de um ano crescemos em cerca de 1.300 novos sócios [mais 27,65%], um número que é significativo", destacou o presidente da direção.

No intervalo da partida de sábado, frente ao Portimonense, que equipa orientada por Daniel Ramos venceu por 2-0 para a segunda jornada da Liga NOS, o Chaves anunciou ter atingido a marca dos seis mil sócios, com a inscrição de Maria Rosa Mesquita, natural do concelho de Vila Pouca de Aguiar, distrito de Vila Real.

O emblema de Trás-os-Montes foi resgatado de um processo de insolvência em 2011 pelo empresário Francisco Carvalho e Bruno Carvalho, filho do investidor, explicou que quando assumiram o clube "apenas 470 pessoas tinham pago as quotas".

"No primeiro ano em que estivemos à frente do clube, ainda no terceiro escalão, tivemos um aumento para 1290 sócios pagantes, e nunca mais parou de crescer", realçou.

Sem estabelecer uma meta em concreto, Bruno Carvalho destacou que o Chaves chegou a ter cerca de 10 mil sócios em finais da década de 1980, mas que, para já, pretende "aproximar o clube dos sete mil associados".

Foi ainda criada a possibilidade de os sócios com as quotas em atraso nas últimas três temporadas manterem o número atual, pagando a quota da época 2018/19 por inteiro.

"Está previsto para 2019 uma nova renumeração e esperamos manter um número alto de associados", reconheceu.

Para o presidente do clube flaviense, os "bons resultados" da equipa principal impulsionam o elevado número de sócios.

"Na época passada ficámos a uma posição de igualar a melhor classificação de sempre na primeira Liga e esta época esperamos manter um lugar na metade superior da tabela, o que, tendo em conta o estado atual do futebol português, será extraordinário", analisou.

O conjunto de Chaves, que foi orientado por Luís Castro, terminou a temporada passada no sexto lugar, igualando a segunda melhor posição final no escalão máximo do futebol português.

Por Lusa
Deixe o seu comentário
PUB