Autárquicas: Liga justifica realização de jogos no dia das eleições

Sporting-FC Porto está agendado para 2 de outubro

• Foto: Simão Freitas

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) enviou esta terça-feira uma carta à Comissão Nacional de Eleições (CNE), na qual justifica os motivos que levaram a agendar jogos para o dia das eleições autárquicas, em especial o clássico Sporting-FC Porto.

Em carta dirigida ao presidente da CNE, datada desta terça-feira, a que a agência Lusa teve acesso, a LPFP explica que a realização de quatro jogos no domingo, 1 de outubro, está relacionada com a participação das equipas portuguesas nas competições europeias e o jogo seguinte da seleção nacional.

No mesmo dia em que o porta-voz da CNE, João Machado, em declarações ao Expresso, desaconselhou a realização deste tipo de eventos em dia das eleições, a LPFP observou que alterou vários jogos da oitava jornada da Liga NOS e todos da nona ronda da II Liga, devido à realização do ato eleitoral.

"Contudo, face à participação das equipas portuguesas em competição europeia na semana anterior, à necessidade de acautelamento do intervalo regulamentar de descanso entre jogos de pelo menos 72 horas, bem como a obrigatoriedade de libertação de jogadores para as seleções nacionais, no dia 2 de outubro", o organismo indica que agendou quatro jogos para o dia das eleições autárquicas.

Além do confronto entre o Sporting e o FC Porto, atualmente, os dois primeiros classificados do campeonato, com início às 18 horas, estão também marcados para 1 de outubro os jogos Marítimo-Benfica (20h15), Sporting de Braga-Estoril-Praia (16h) e Belenenses-Vitória de Guimarães (20h30).

"A Liga está convicta de que os portugueses têm plena noção dos seus deveres e responsabilidades cívicas. Razão pela qual a lei não prevê qualquer proibição de atividades de entretenimento e desportivas em datas eleitorais", disse à Lusa o diretor de comunicação da LPFP, António Barroso.

Barroso advertiu que "a democracia portuguesa é matura, está firme e não precisa de paternalismos que a subvalorizam", assinalando que o organismo de clubes "vai ter um papel ativo no apelo à participação cívica no ato eleitoral com uma campanha de comunicação nas suas plataformas".

Esta é uma situação repetente, uma vez que na época 2015/2016 vários jogos foram realizados no dia das legislativas, ato em que se registou a maior abstenção de sempre.

Por Lusa
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Liga NOS

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.