Record

Beira-Mar-V. Guimarães, 2-2: Foi mesmo debalde o melhor futebol

ERROS DOS AVEIRENSES E FÉ VITORIANA (2-2)

Beira-Mar-V. Guimarães, 2-2: Foi mesmo debalde o melhor futebol
Beira-Mar-V. Guimarães, 2-2: Foi mesmo debalde o melhor futebol • Foto: MANUEL AZEVEDO

Faltava menos de um minuto para o fim do tempo extra quando o V. Guimarães conseguiu o golo que lhe garantiu um empate com sabor a vitória. O golo de Baldé (o 1.º no campeonato) gelou o Municipal de Aveiro, castigou a melhor equipa mas também resultou dos erros da equipa da casa.

Consulte aqui o direto do jogo

O Beira-Mar, com muitas mudanças da defesa ao ataque, entrou muito bem e golo que conseguiu empolgou ainda mais a equipa, que jogava um futebol rápido, seguro e claramente superior ao do seu adversário. O 2.º golo do Beira-Mar podia ter chegado mas Douglas tirou esse gosto a Batatinha e logo a seguir Rui Rego ofereceu o golo a Freire. Mas nem por isso a equipa vitoriana animou o seu jogo e até ao final da 1.ª parte o Beira-Mar teve mais três oportunidades para se adiantar de novo no marcador perante um Vitória anémico e que até parecia estar contente com o resultado.

Rui Vitória não estava a gostar do que estava a ver e aos 55’ fez uma dupla substituição que permitiu pelo menos que a sua equipa assumisse algum jogo. Mas só após a entrada de Barrientos foi possível ver um Vitória a equilibrar o jogo, obrigando Ulisses Morais também a fazer alterações. Mas continuava a ser a equipa aveirense a que chegava mais e melhor à baliza do adversário, com Douglas Jesus a ser o salvador.

O Beira-Mar estava já a jogar com um “10” puro, Jorginho, mas a grande cartada de Ulisses Morais foi a entrada de Abel Camará. Na 1.ª vez que tocou na bola, assistido por Jorginho, Camará fez o segundo golo da sua equipa. Que aconteceu já num momento em que o Vitória estava a conseguir finalmente mostrar o seu futebol.

Na parte final do jogo, Rui Vitória meteu a carne toda no assador e o central Freire acabou o jogo a ponta-de-lança. Ainda deu para ver o Beira-Mar, por Balboa, desperdiçar um golo que sentenciaria o resultado mas os minutos finais foram de assalto dos vimaranenses, com a equipa da casa de certo modo a consentir o cerco.

Nem sempre resulta e desta vez, naquele que terá sido o último lance do encontro, o Vitória acabou por conseguir um triunfo que não caiu propriamente do céu aos trambolhões pois fez-se por isso. Mas, contas fechadas, o resultado final é mais o espelho dos erros do Beira-Mar que do mérito da equipa de Guimarães.

Árbitro

Nuno Almeidafoi contestado por na 2.ª parte ter dado 5’ de tempo extro mas foi algo que se justificou pois nos minutos finais dois jogadores do Beira-Mar tiveram de ser assistidos. De resto, um trabalho razoável.

MOMENTO

Já estavam jogados um pouco mais de 4 minutos dos 5 de tempo extra quando Freire ganhou a bola lá em cima e serviu Baldé para um golo muito festejado pelos vitorianos.

CASO

Pouco antes do golo de Baldé, Ricardo entrou como um foguete na área aveirense e Jaime arriscou um corte, tocando no avançado, com este a conseguir rematar. Uma questão de intensidade?

NÚMERO

7 dos 12 pontos conseguidos pelo Vitória foram garantidos fora de casa. Desta vez mais importante que o ponto ganho foram os 2 que o Beira-Mar não ganhou

Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Liga NOS

Notícias

Notícias Mais Vistas

M