Contas dos grandes: quem vence o campeonato das finanças?

Record analisou os resultados líquidos de Benfica, Sporting e FC Porto nos últimos 5 anos

A época 2015/16 correu bem para o Benfica em termos financeiros. Os encarnados são os únicos em terreno positivo se analisarmos o Relatório e Contas dos três grandes. As receitas obtidas, as despesas efetuadas, os investimentos realizados, a compra e venda de passes de jogadores foram alguns dos fatores que, depois de contabilizados, permitiram aos homens da Luz apresentarem lucro no último exercício, o que acontece, aliás, pela terceira vez consecutiva.

Se analisarmos os números dos últimos cinco anos, verificamos, por outro lado, uma grande irregularidade entre lucros e prejuízos, funcionando o FC Porto quase sempre como uma exceção. Como o gráfico demonstra, os Relatórios e Contas fizeram antever, em 2011/12 e 2012/13, cenários catastróficos que não se confirmar em pleno, embora, a partir de então, também não passassem a satisfazer plenamente os acionistas.

Altos e baixos

Nos três anos seguintes, enquanto a SAD do Benfica deu lucro invariavelmente, as de Sporting e FC Porto conheceram caminhos diversos. O Sporting começou por apresentar um lucro ligeiro, a rondar os 300 mil euros, passando depois para os 19,3 milhões, o que constituiu, neste domínio, uma melhoria assinalável. O último Relatório e Contas é que não apresentou resultados nada risonhos, com 31,9 milhões de euros negativos.

Pior tem estado, no entanto, o FC Porto, que apresenta agora um recorde negativo. Os dragões foram a tal exceção, em 2012/13, com 20 milhões de euros positivos, entrando depois numa espécie de montanha-russa .

Na época seguinte já registavam um prejuízo de 40,7 milhões, melhoraram, no exercício de 2014/15, para um lucro de 19,3 e caíram na última temporada a pique, com os tais 58,4 milhões negativos, agora apresentados e que muita preocupação devem gerar entre os acionistas.

Dragão perto da hegemonia

As contas da SAD portista relativas à temporada 2015/16 apresentam o maior prejuízo de sempre e, por coincidência, os maiores gastos da história com salários pagos aos funcionários. O FC Porto despendeu agora 75,7 milhões de euros neste item, conseguindo mesmo superar os já astronómicos 69,9 milhões da época passada.

Tendo quase invariavelmente plantéis mais caros do que os rivais, em face dos salários que proporciona, o FC Porto foi sempre o líder desta tabela, à exceção da época 2013/14, em que o Benfica fez disparar, num ápice, o valor da sua folha salarial. Aliás, neste domínio, os encarnados nunca estiveram muito longe dos rivais, embora esse fosso tenha sido substancialmente alargado nos últimos dois anos.

O Sporting, pese embora tenha duplicado os custos com o pessoal relativamente à época anterior, nunca fez ‘concorrência’ efetiva a FC Porto e Benfica. Em 2011/12 e 2012/13 ainda acompanhou de perto os dois outros grandes do futebol português, mas nas duas temporadas posteriores a massa salarial representou quase sempre menos de metade dos valores que os dois outros emblemas se dispuseram a desembolsar.

Por Luís Pedro Sousa
40
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Liga NOS

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0