Record

Gil Vicente-Arouca, 0-3: Um domínio claro em cenário de crise

nem os números foram exagerados no triunfo da solidariedade

Gil Vicente-Arouca, 0-3: Um domínio claro em cenário de crise
Gil Vicente-Arouca, 0-3: Um domínio claro em cenário de crise • Foto: SE Record

Quem não viu o jogo poderá ficar surpreendido com a simplicidade do triunfo do Arouca num estádio onde, até à tarde de ontem, só o Sporting tinha conseguido vencer, mas a verdade é que nem os números foram exagerados. Aliás, não fosse o guarda-redes do Gil Vicente e, ao intervalo, o desnível no marcador já poderia ser mais vincado.

Consulte o direto do encontro.

André Claro traduziu em golos o maior domínio do Arouca, dando expressão à melhor atitude da equipa. Pedro Emanuel tinha dito no lançamento deste jogo que todas as migalhas são importantes para atingirem os seus objetivos, e a verdade é que os jogadores foram solidários e demonstraram uma entreajuda assinalável que lhes permitiu anular todas as intenções do Gil Vicente.

O galo está triste e não consegue disfarçar alguma desorientação. António Fiúsa foi para o banco, mas nem a presença do presidente serviu para despertar o grupo. O ataque não cria oportunidades, e o meio-campo, exceção feita a César Peixoto, não tem ideias. Até o lateral Luís Martins, uma das revelações da equipa, perdeu o norte e deixou-se expulsar, prejudicando a equipa. Logo a seguir surgiu o segundo golo, e o desfecho ficou sentenciado.

Com este resultado, os minhotos vão caindo na tabela e somam cinco encontros consecutivos sem vencerem. A situação está longe de ser problemática, mas a ilusão criada nos adeptos com aquele arranque soberbo está a transformar-se num verdadeiro inimigo interno. Os sinais de descontentamento são evidentes, e João de Deus vê-se agora a braços com um grupo desmoralizado e sob um cenário de crise.

Quem não se pode queixar do mesmo é Pedro Emanuel. O Arouca mostrou que está em ascensão, e este triunfo veio reduzir a margem de nove para seis pontos que tinha de atraso para o Gil Vicente. o Arouca deixou os lugares de despromoção, algo que não acontecia desde a 9.º jornada, e regressou aos triunfos no campeonato após três meses em jejum. Desde setembro que não somava três pontos num jogo e a última vez que o tinha conseguido foi no terreno do Nacional. Muitos motivos de satisfação para Pedro Emanuel que passa a encarar o futuro com maior otimismo.

Confiança

O empate no Estádio da Luz terá sido, porventura, o ponto de viragem em termos mentais para a equipa do Arouca. Mesmo não tendo vencido o Benfica, o conjunto de Pedro Emanuel mostrou que tinha argumentos para se bater com qualquer adversário. A derrota com o V. Guimarães foi o toque a reunir, e a verdade é que o grupo reagiu da melhor forma em Barcelos. Luís Tinoco, que não teve oportunidade de vingar no clube da sua terra, voltou com uma grande exibição.

MELHOR EM CAMPO

André Claro. Excelente leitura dos lances, surgindo sempre ao segundo poste para finalizar. Grande referência ofensiva da equipa

MOMENTO

A expulsão de Luís Martins deitou por terra qualquer possibilidade de sucesso do Gil Vicente. O segundo golo entrou logo a seguir

NÚMERO

8 - os pontos conquistados fora pelo Arouca. O dobro dos conseguidos no seu estádio

Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Liga NOS

Vieira deixa cair Salvio

Presidente encarnado não vai melhorar a oferta apresentada ao agente de El Toto. Se este não baixar pretensões, o argentino deixará a Luz
Notícias

Notícias Mais Vistas

M