Jesus perde primeiro dérbi na Luz em 8 anos

Nas anteriores sete épocas, o agora treinador leonino regista 6 vitórias e apenas um empate

• Foto: Paulo Calado

Jorge Jesus perdeu este domingo o primeiro dérbi na Luz, depois de 7 épocas consecutivas sem derrotas. Nos anos em que foi treinador encarnado, JJ somou cinco vitórias e um empate, ciclo vitorioso ao qual deu seguimento como líder sportinguista quando, na temporada transata, ganhou na Luz por expressivos 3-0. Ontem, o Sporting manteve a tradição recente de permitir ao rival o primeiro golo: aconteceu o mesmo, em 2015/16, no jogo para a Taça de Portugal (os encarnados começaram a ganhar, com golo de Mitroglou, mas os verdes e brancos deram a volta e venceram 2-1, com golos de Adrien e Slimani) e naquele que a águia aproveitou para atingir o topo da Liga (Mitroglou).

A derrota leonina começou a desenhar-se com o golo de Salvio e, olhando para o passado recente, a tarefa sportinguista ficou desde logo muito comprometida. É que, a perder ao intervalo, os leões tinham de recuar até 2005/06 para encontrarem uma reviravolta conseguida na segunda parte do jogo. Então sob o comando de Paulo Bento, a equipa reagiu a golo de Simão Sabrosa (27’, pen.) com 3 golos (Sá Pinto aos 64’, de penálti, mais dois de Liedson (73’ e 82’).

O jogo configura ainda um particularidade interessante nas deslocações ao recinto do eterno rival: o Sporting marcou ao Benfica, na Luz, pela terceira vez consecutiva, feito raro nos últimos anos – no novo século só por uma vez tinha logrado fazê-lo, entre 2001 e 2004. Por curiosidade, na história do dérbi só ao jogo 21 os leões ficaram em branco.

Gelson Martins estreou-se como titular

O jovem Gelson Martins assinou este domingo, na Luz, o quinto dérbi como sénior do Sporting, isto é, não falhou qualquer jogo com o rival desde que Jorge Jesus assumiu o cargo de treinador leonino. A história começou com 1 minuto na Supertaça Cândido de Oliveira, no algarve, em agosto de 2015 e prosseguiu com 4 minutos no 3-0, na Luz, a contar para a Liga. Juntou depois 75 minutos para a Taça de Portugal (vitória por 2-1, após prolongamento) e mais 13’ no duelo, em Alvalade, para a Liga, que o Benfica venceu.

Aos 93 minutos somados nesses quatro jogos, Gelson juntou os 90 minutos deste domingo, num jogo em que confirmou a preponderância na equipa. Antes, entrava para ganhar tempo e tentar mudar as coisas do banco; agora já não sai do onze.

Por Rui Dias
5
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Liga NOS

Orientações de trabalho diárias

Plantel recebe todos os dias, através de plataformas digitais, recomendações de exercícios para fazer durante o período de isolamento

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.