Liga já reagiu à situação a envolver Sónia Carneiro

Organismo assegura que "preferências clubísticas não são obstáculo" para cumprimento das funções

Através de comunicado emitido no seu site oficial, a Liga Portugal já reagiu à situação a envolver Sónia Carneiro, diretora executiva daquele organismo que este sábado viu um post da sua autoria, feito em 2012, circular nas redes sociais. A publicação, na qual a referida dirigente surge a troçar do Benfica, motivou mesmo uma reação enérgica do clube encarnado, que pediu mesmo a demissão da mesma.

Na nota publicada, com nove pontos, a Liga deixa claro que "as diversas simpatias e afetos clubísticos do Presidente e dos Diretores Executivos, apesar de conhecidas, ou reveladas, em vários momentos das suas vidas profissionais não são obstáculo para o cumprimento digno, profissional, rigoroso e isento no que diz respeito às tutelas e responsabilidades que cada um assume no organismo".

Neste sentido, defende o mesmo organismo, "é seguro dizer-se que não haverá qualquer dirigente de topo ou intermédio, no futebol profissional e não-profissional, que não seja adepto ou simpatizante de um clube." E, ainda assim, pese embora essas mesmas preferências, a "atual comissão executiva da LPFP" tem "empenhado as suas competências na gestão em benefício das sociedades desportivas".

De resto, no mesmo comunicado, a Liga Portugal aproveita para condenar "todos e quaisquer procedimentos inquisitoriais, mesmo que levados a cabo com ferramentas e metodologias modernas de comunicação."

Leia o comunicado na íntegra:

"Hoje interpelada por vários representantes de Órgãos de Comunicação Social a propósito da continuada divulgação, de forma extrapolada, em redes sociais e blogues particulares, de conteúdos que ferem a dignidade e a isenção de titulares de cargos na sua Direção Executiva, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) entende prestar os seguintes esclarecimentos.

1. O rigor e a isenção do Presidente e dos Diretores Executivos da LPFP são continuadamente escrutinados e auditados por todas as sociedades desportivas do futebol profissional, nomeadamente pela Direção do organismo, que é constituída e eleita por todos os emblemas do futebol profissional.

2. As diversas simpatias e afetos clubísticos do Presidente e dos Diretores Executivos, apesar de conhecidas, ou reveladas, em vários momentos das suas vidas profissionais não são obstáculo para o cumprimento digno, profissional, rigoroso e isento no que diz respeito às tutelas e responsabilidades que cada um assume no organismo.

3. Os critérios e valores subjacentes ao quotidiano de gestão do futebol profissional têm prevalecido blindados, desde o primeiro dia do mandato da atual Direção Executiva, presidida por Pedro Proença, independentemente dos passados e atividades de cada um dos seus membros enquanto adeptos e apaixonados pelo futebol, com diversas simpatias clubísticas.

4. É seguro dizer-se que não haverá qualquer dirigente de topo ou intermédio, no futebol profissional e não-profissional, que não seja adepto ou simpatizante de um clube.

5. É também seguro dizer-se que o que antigamente era discussão alegre e divertida entre amigos de "cores diferentes", no café ou nas redes sociais ao alcance do Mundo, hoje se transformou numa moderna "caça às bruxas".

6. Perante tal cenário, cumprindo a sua missão de promotora do espetáculo e na defesa a integridade do futebol profissional, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional condena todos e quaisquer procedimentos inquisitoriais, mesmo que levados a cabo com ferramentas e metodologias modernas de comunicação.

7. Conforme o Presidente da Liga afirmou no dia do sorteio das competições para a época 2017-2018, este é o momento para elevar o discurso e todos falarem do que é fundamental para o futebol profissional.

8. A atual comissão executiva da LPFP, que é composta por pessoas de sensibilidades e simpatias clubísticas diferentes entre si, tem empenhado as suas competências na gestão em benefício das sociedades desportivas. Aliás, após 2,8 milhões de euros de resultados operacionais positivos na época anterior, a Liga prepara-se para anunciar mais um resultado positivo, respeitante a 2016-2017.

9. O trabalho executivo da LPFP é reconhecido e de grande qualidade, em tudo contrastante com parte do passado do organismo, conforme o Presidente Pedro Proença fez notar à nova Direção, constituída pelas seguintes oito sociedades desportivas: SL Benfica, FC Porto, Sporting CP, GD Chaves, CD Feirense, FC Famalicão, U. Madeira e Ac. Viseu."

Por Fábio Lima
51
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Liga NOS

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.