Regulamentos foram cumpridos no adiamento do Santa Clara-Paços de Ferreira

Liga Portuguesa de Futebol Profissional veio a público esclarecer a polémica em torno do encontro deste domingo

• Foto: Nuno Gomes

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) disse esta segunda-feira que foram cumpridos os regulamentos em torno do adiamento do Santa Clara-Paços de Ferreira (2-1), na sequência de condições climatéricas que afetaram as marcações do terreno de jogo.

Segundo explicou a diretora executiva da LPFP Helena Pires à Lusa, o clima, razão inicialmente alegada para o adiamento do encontro de sábado para domingo, acabou por afetar "efetivamente as marcações", que ficaram "menos visíveis, o que levou a que a equipa de arbitragem não tivesse validado o terreno de jogo".

"A partir daqui, foram desencadeados mecanismos e procedimentos, com o acordo de todos, dos delegados das equipas e da equipa de arbitragem, no sentido de viabilizar a realização do jogo e a reposição das linhas", aponta.

Segundo a dirigente, foram feitas "várias tentativas para repor as linhas", com condições climáticas adversas, e tudo o que se sucedeu, sustenta, foi dentro "do acordo obtido entre todos os que lá estavam".

"As condições climatéricas foram a verdadeira causa para que as linhas não estivessem suficientemente visíveis. No dia seguinte [domingo], o que se fez foi um trabalho exaustivo, com recurso a outro tipo de mecanismos, como a colocação manual [das linhas], com pó. Levou a várias horas de trabalho e recurso a um meio já não habitual", considera.

O Paços de Ferreira anunciou um protesto do jogo, que perdeu frente aos açorianos por 2-1, e Helena Pires reconhece o "direito de fazer reclamação do jogo" aos pacenses. "Agora, estará no Conselho de Disciplina [da Federação Portuguesa de Futebol] fazer a avaliação de tudo isto", acrescenta.

Depois da derrota, no domingo, o responsável pela comunicação do Paços anunciou que o emblema "vai formalizar o protesto do jogo, com base nas incidências" de sábado.

Na opinião de Helena Pires, "os relatórios dos árbitros e delegados serão, seguramente, bem mais concretos dos factos do que foi acontecendo".

No final do jogo, o treinador dos nortenhos, Pepa, afirmou que foi "praticamente impossível jogar" no estádio de São Miguel, descrevendo o episódio como "má vontade ou muita incompetência". "Sei que tenho ali um grande grupo de homens que se fosse preciso jogar amanhã, jogava. Mas não é fácil o que aconteceu aqui. Não sei se foi má vontade ou muita incompetência para aquilo que aconteceu ontem [sábado]", destacou.

O jogo da 19.ª jornada estava marcado para sábado às 19:30 locais (mais uma hora em Portugal continental), tendo sido inicialmente adiado 30 minutos devido à falta de visibilidade das linhas de jogo, uma situação alegadamente potenciada pela intensa chuva que se fez sentir em Ponta Delgada.

A partida foi adiada novamente por uma hora e meia, tempo que serviu para a remarcação das linhas do terreno. Contudo, perto das 21:30 locais foi anunciado o cancelamento do jogo e a sua remarcação para domingo, às 16:30.

No jogo, o Santa Clara bateu o Paços de Ferreira por 2-1, com dois golos de Schettine, tendo o golo dos 'castores' chegado nos descontos por Baixinho.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Liga NOS

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.