Record

Sp. Braga-V. Guimarães, 3-2: Guerreiros de olés quase a ficar sem voz

SP. BRAGA AMEAÇOU GOLEADA MAS AINDA SOFREU

Paulo Vinícius marcou o segundo golo do Sp. Braga.
Sp. Braga-V. Guimarães, 3-2: Guerreiros de olés quase a ficar sem voz • Foto: LUÍS VIEIRA

Um dérbi é mesmo assim e o imprevisível sempre foi o mais apetecível do futebol. Quem diria que este jogo acabaria com o Sp. Braga a defender a sua baliza e Baldé a falhar uma cabeçada ao segundo poste, respondendo mal ao excelente passe de Soudani...

Consulte o direto do encontro.

Isto aos 90’+1 e 5 minutos depois de uma troca de protagonistas que deixou os bracarenses à beira de um ataque de nervos, quando Soudani dominou cheio de estilo a primorosa assistência de calcanhar de Baldé, passou por Quim e diminuiu a diferença que se tinha sentido em todo o jogo.

Este dérbi do Minho foi verdadeiramente interessante no seu segundo ato e acabou com um vencedor normal em tempo de carpir mágoas recentes. O Sp. Braga voltou a dominar, a controlar e a ganhar em todos os dados estatísticos, mas desta vez ganhou também o jogo, o que já não acontecia há mais de um mês. Essa é que é a notícia, pois os dois golos sofridos por Quim acabam até por ser normais...

A verdade é que a equipa de José Peseiro chegou a ameaçar a goleada e depois do 3-0 provocou até olés vindos da bancada. A empatia e sintonia com os adeptos estava finalmente reposta, após tanta contestação, e o caso não era para menos, pois do outro lado estava o velho rival do Minho que se via dominado e muito perto de sofrer um quarto golo que igualaria o resultado da época passada.

Mas o orgulho dos vitorianos falou mais alto e o jogo acabou com algum nervo e sofreguidão para os homens da casa. Paulo Oliveira fez o 3-1 de cabeça e ainda teve tempo de evitar em cima da linha um golo só cantado por Hélder Barbosa. O problema, na perspetiva vitoriana, era o que estava para trás, com o jovem defesa-central a permitir os dois golos de Éder e El Adoua a deixar Paulo Vinícius apontar outro em grande cabeçada na área.

A imagem da primeira parte, de resto, foi muito cinzenta, com jogo corrido a espaços, o Sp. Braga a ter o tal dote de “controlador” e o Vitória só a responder a partir dos 25 minutos. O melhor que podia ter acontecido aos Guerreiros ansiosos, também feridos no seu orgulho nos últimos quatro jogos, foi mesmo aquela cabeça de fúria de Éder a abrir o marcador. Nos festejos, todo o grupo fez questão de abraçar José Peseiro...

Árbitro: Jorge Sousa (Nota 4)

Não teve necessidade de impor respeito com os cartões, mas ainda assim foi obrigado a expulsar Elderson já no tempo de compensações. No resto, tudo controlado e sem reparos.

MOMENTO

Soudani em foco no ataque do Vitória a protagonizar o que poderia ter sido o momento da viragem, mas Quim saiu bem da baliza e travou o remate do argelino. Isto aos 46 minutos. Seria o 1-1...

CASO

Elderson abriu o flanco e a televisão mostra que Jorge Sousa não foi demasiado rigoroso, pois o nigeriano calcou ostensivamente o calcanhar de Ricardo. Era mesmo lance para segundo amarelo.

NÚMERO

11 - O Sp. Braga voltou a ganhar muitos cantos e nesse capítulo deu goleada, mas desta vez a aproveitar dois deles para golos. O primeiro batido de forma curta.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Liga NOS

Notícias

Notícias Mais Vistas

M