Record

V. Setúbal-Beira-Mar, 1-0: Nem expulsão de Ney ajudou Costinha

Sadinos dão passo rumo à permanência

V. Setúbal-Beira-Mar, 1-0: Nem expulsão de Ney ajudou Costinha
V. Setúbal-Beira-Mar, 1-0: Nem expulsão de Ney ajudou Costinha • Foto: RUI MINDERICO

Uma exibição realista permitiu ontem ao Vitória de Setúbal bater o Beira-Mar e dar mais um passo importante rumo à permanência. Os comandados de José Mota venceram pela terceira vez consecutiva – sempre pelo mesmo resultado (1-0) – e, facto muito importante para a equipa que tem a segunda pior defesa da 1.ª Liga (36 golos), mantiveram a baliza inviolável.

Consulte o direto do encontro.

Sem tirar mérito aos sadinos, o motivo da ausência de golos dos aveirenses pertence, em boa parte, à falta de acutilância da equipa de Costinha. O treinador, foi ontem evidente, tem muito trabalho pela frente para recuperar um grupo que aparenta estar à deriva, não ter objetividade nem inteligência para contornar situações adversas.

Num lance de bola parada, aos 13 minutos, os vitorianos colocaram-se em vantagem com um cabeceamento certeiro de Miguel Lourenço, lance em que Hélder Lopes ficou mal na fotografia. Tal como na jogada do golo, surgida de um canto cobrado por Miguel Pedro, quase todos os lances de perigo dos anfitriões surgiam de bolas paradas.

Mesmo durante o período em que atuou em vantagem numérica, devido à expulsão de Ney, aos 35 minutos, o Beira-Mar, apesar de ter mais posse de bola, não conseguiu mostrar argumentos para se superiorizar ao Vitória.

Não obstante o primeiro sinal de perigo da partida ter surgido junto da baliza de Kieszek, quando aos 4 minutos Fleurival cabeceou com perigo ao lado do poste esquerdo do guardião polaco, as melhores oportunidades para marcar aconteceram junto da baliza de Rui Rego. Miguel Pedro (43’), Pedro Santos (54’), Bruno Amaro (74’) e Jorge Luiz (75’) dispuseram de boas ocasiões para ampliar o resultado.

No dia em que celebrou o 32.º aniversário, o médio Ney foi expulso por alegadas palavras injuriosas ao árbitro Cosme Machado. A prenda envenenada que deu aos colegas obrigou a equipa a reunir esforços e mostrar um espírito de entreajuda significativo. Até ao apito final, os vitorianos – que contaram com Jorge Luiz em bom plano na defesa e com Zé Pedro a ser crucial no meio-campo – seguraram, sem sobressaltos, os três pontos e aumentaram para oito a vantagem que os separam dos lugares de despromoção.

Árbitro: Cosme Machado (Nota 3)

O árbitro teve alguns equívocos no capítulo técnico, mas, ainda assim, uma atuação positiva. Nada a apontar às expulsões do sadino Ney e, aos 85’, do aveirense Pedro Moreira (por acumulação).

MOMENTO

Numa partida em que o desacerto na finalização foi evidente, um cabeceamento certeiro do central Miguel Lourenço, aos 13 minutos, fez a diferença e decidiu o jogo.

CASO

Ney derruba adversário no meio-campo e Cosme Machado, com o amarelo na mão, prepara-se para adverti-lo. O brasileiro terá dito algo ao juiz e foi expulso.

NÚMERO

20 - Beira-Mar sofreu golos em todas as 20 jornadas já disputadas nesta 1.ª Liga. É a pior defesa, com38 tentos encaixados.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Liga NOS

Notícias

Notícias Mais Vistas

M