Diogo Gonçalves: «Vou levar sempre o Famalicão no meu coração»

Extremo cedido pelo Benfica revela não estar seguro sobre aquilo que o futuro lhe reserva

• Foto: Nuno Fonseca / Movephoto

Diogo Gonçalves, extremo cedido pelo Benfica ao Famalicão, respondeu, esta terça-feira, a algumas questões dos adeptos famalicenses na página oficial do Facebook do clube.

O internacional português sub-21 falou sobre algumas melhorias que teve a nível individual, do objetivo do Famalicão alcançar os lugares europeus no final da temporada e ainda sobre o desejo de ser chamado por Fernando Santos para a Seleção Nacional.

"Esta época, acima de tudo, melhorei a minha mentalidade, consistencia, agressividade e também a velocidade. Estamos sempre a aprender, jogo a jogo e treino a treino. Posso evoluir sendo mais eficaz a marcar golos, não perder tantas bolas e trabalhar o passe. São coisas mínimas e são coisas que podemos evoluir", afirmou o extremo, de 23 anos.

Diogo Gonçalves admitiu que o novo coronavírus veio trazer mais indefinição quanto ao seu futuro profissional, não sabendo se irá permanecer em Famalicão após o final da presente temporada, um clube pelo qual diz ter "muita estima".

"O Famalicão é um clube pelo qual tenho muita estima mas como todos sabem eu sou jogador do Benfica. Não sei o que vai acontecer na próxima época nem as pessoas sabem, com esta crise está um bocado tudo atrasado mas não sei, não sei o que vai acontecer. Não posso responder porque não faço mesmo ideia. Vou levar sempre o Famalicão no meu coração. Fica a sensação que poderíamos ter chegado à final da Taça de Portugal mas ficam as memorias", apontou.

Com 37 pontos amealhados até ao momento em que a competição foi interrompida face à pandemia da Covid-19, o Famalicão posiciona-se na 7.ª posição, a cinco pontos do Sporting, que se apresenta em lugares europeus. Para Diogo Gonçalves, o objetivo da formação minhota é alcançar um posto que garanta o mesmo acesso. 

"Nenhum jogador se conhecia, eram jogadores novos e treinadores novos. A nossa ambição fez com que chegássemos a este patamar. Acreditámos em tudo o que o treinador disse. Chegamos a 10 jogos do fim com a possibilidade de ir à Europa, é isso que queremos. Vamos ver", frisou.

Golos mais marcantes?

"O meu primeiro golo na Liga, marcado ao Sporting. Também tenho o golo ao Uruguai no Mundial sub-20, um golo de belo efeito. Foi um golo que está para sempre na minha memoria."

Momento mais marcante pelo Famalicão

"Foi o jogo da meia-final da Taça frente ao Benfica, pelo ambiente e por tudo o que vivemos, pela semana que vivemos ansiosos por esse jogo. Foi um momento muito lindo na historia do clube."

Análise ao Championship

"O Championship é muito intenso, não joguei o que queria mas fez-me ser mais maduro. Foi muito importante para o resto da minha carreira."

Organização do Famalicão 

"O Famalicão é um clube muito organizado e ambicioso. Quer chegar a palcos maiores e tem tudo para crescer, também graças aos adeptos."

Sonho de chegar à Seleção Nacional 

"Claro que sonho, todos sonham com isso. Chegar à seleção nacional é o patamar mais elevado. Felizmente tive a oportunidade de jogar nas seleções jovens em todos os escalões. Vivi experiências únicas de ir a Mundiais e a Europeus, são sensações únicas e espero um dia vestir a camisola da seleção principal."

O maior sonho para um jogador de futebol 

"Chegar à seleção e depois conquistar uma Champions, um Mundial ou europeu de seleções", finalizou.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Famalicão

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.