Ivo Vieira: «Pressão? Pressão sente quem tem dificuldades na vida»

Técnico afasta palavra forte e garante equipa preparada para vencer

• Foto: Site oficial FC Famalicão

O objetivo da permanência ainda não está garantido e esse cenário poderia colocar alguma pressão acrescida ao Famalicão para o jogo frente ao Santa Clara, mas Ivo Vieira afasta essa palavra do dicionário da equipa. Para o técnico, existe alguma tensão normal, mas a equipa está preparada para ganhar.

Trabalho mental: O mais importante é os jogadores sentirem e correrem atrás do objetivo de forma confiante e tendo em consideração o que fizemos para trás. Não foi perfeito, mas foi bom. O trabalho mental e psicológico é o natural: motivá-los para ganhar, fazê-los acreditar nas capacidades, montar a estratégia para o jogo e lutar para ganhar.

Jogo determinante: É fundamental para o objetivo. Falo em nome do Famalicão. É o nosso emblema e nós jogamos todos os jogos para ganhar. Às vezes não corre de feição, mas lutar por esses pontos faremos sempre. É relevante e importante somarmos esses pontos para a nossa caminhada em termos de tabela, para podermos cimentar e conseguir o mais depressa possível o nosso grande objetivo.

Pressão: A pressão, para mim, quase não existe. Existe tensão, adrenalina na abordagem ao jogo. Obviamente que mais do que essa palavra, temos de ser equilibrados, temos de lutar pelo resultado, abordar bem o jogo, acreditar no que fazemos, lutar por os que nos querem bem e dar-lhes um resultado que vá ao encontro daquilo por que lutamos. A pressão é uma palavra forte. Quem passa dificuldades na vida é que está pressionado. Estes jogadores estão cheios de saúde, estamos num espaço que gostamos, fazemos o que gostamos e temos de ter alegria.

Estratégia: Cada jogo temos uma estratégica. Há um padrão base no jogo, na ideia, no objetivo, dependendo do adversário. Vai ao encontro do que podemos em termos estratégicos provocar dentro do jogo. É uma situação variável. Mas nunca perdendo a nossa identidade e a marcar. Jogando com avançado ou sem avançado, com extremos mais altos ou mais baixos, a ideia está lá.

Recuperação de Riccieli, Campana, Anderson e Iván Jaime: É preciso trabalhar À semana, vincar bem o que se pretende, fazê-los acreditar nas capacidades. Tenho um plantel de 25 atletas mais 3 guarda-redes que me oferecem várias soluções. Tenho de escolher, felizmente para eles. Os que não têm tido oportunidades têm de continuar com este foco para ter uma oportunidade e dizer presente. É uma questão natural. Depois é uma decisão minha perante o desempenho de cada um.

Santa Clara: A tabela fala por si, o Santa Clara está a fazer um campeonato muito bom, equilibrado e nós temos em consideração as mais valias em termos individuais e colectivos que o Santa Clara tem. Tem mérito no campeonato, tem equipa com valia coletiva e individual, mas também temos as nossas armas. Temos de estar focados no que podemos fazer e tentar alavancar as nossas mais valias para lutar pelo resultado.

Meta dos 34 pontos: Isso é algo que eu não consigo garantir, mas acho que será preciso mais pontos. No entanto, ou é essa meta que está em cima da mesa. Temos 3 pontos para conquistar, se assim for conquistamos 34, mas ainda temos mais 3 jogos para conseguir muitos mais.

Jogos dos rivais diretos: É determinante nós ganharmos o nosso jogo e é fundamental fazermos o nosso. Independentemente dos resultados dos outros, se não ganharmos o nosso não vale a pena

Por Pedro Morais
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Famalicão

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.