Ação limitada

Ficaram seis titulares do clássico

• Foto: Miguel Barreira

Este interregno competitivo no calendário dos clubes poderia ser aproveitado por Nuno Espírito Santo para fazer algumas correções na equipa, mas a presença de muitos jogadores nas seleções impede desde logo o técnico de efetuar uma intervenção mais profunda no grupo. Dos titulares que entraram em Alvalade, apenas seis vão manter-se a trabalhar no Olival (Casillas, Felipe, Marcano, Alex Telles, André André e Otávio), podendo Nuno aprimorar apenas a vertente defensiva, dado que só Layún estará ausente nos próximos dias.

Para além dos oito que estão ao serviço das seleções e que só vão regressar aos trabalhos com o grupo muito em cima da receção ao V. Guimarães, há que levar em conta os lesionados Maxi Pereira e Jesús Corona e os dispensados Yacine Brahimi e Diego Reyes. Feitas as contas, Nuno Espírito Santo ficou apenas com 15 jogadores do plantel principal à sua disposição, o que limita a sua ação.

Mas nem tudo é negativo. Esta paragem poderá ser aproveitada para melhorar alguns aspetos em jogadores que necessitem de um trabalho suplementar, quer em termos físicos quer em termos técnicos, e também ajuda a integrar Laurent Depoitre, que ainda está a ambientar-se ao clube. De todos os sectores, aquele que se manteve intacto foi a baliza.

Por Rui Sousa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0