Fartura revitaliza preparação do Jamor

Opções com 22 nomes

• Foto: Manuel Araújo

Desde a 20ª jornada que os dragões não avançam para uma partida do campeonato nacional com tantas opções em carteira como vão fazê-lo agora, em Vila do Conde. Quando José Peseiro escolher a sua lista de convocados para o duelo da 33ª ronda, diante do Rio Ave, poderá eleger 18 nomes de um universo total de 22 opções do plantel principal. Para encontrar algo semelhante é necessário recuar até 30 de janeiro, quando o FC Porto derrotou o Estoril, na Amoreira, por 3-1, com 23 elementos disponíveis, sendo que, no último dia do mercado de inverno, a saída de Imbula reduziria de imediato o leque de opções.

Os números dão conta das limitações que os azuis e brancos têm enfrentado ao longo dos últimos meses, tanto por motivos disciplinares como físicos. Nas 12 jornadas que se disputaram de lá para cá, o FC Porto nunca teve menos de dois indisponíveis e chegou a um máximo de sete. A marca mais reduzida verificou-se em três jornadas (Belenenses, Sp. Braga e Sporting), sendo que a mais elevada aconteceu na receção ao U. Madeira, na qual os azuis e brancos tinham quatro jogadores afastados por motivos físicos e três a cumprir suspensão – sete indisponíveis que deixaram apenas 16 elementos do plantel principal elegíveis e três destes guarda-redes! De resto, José Peseiro foi sempre obrigado a gerir não só o seu onze base como até os elementos que levava para o banco de suplentes.

No ponto para a decisão

À luz deste cenário, a atual fartura de opções chega com atraso em relação aos objetivos portistas no campeonato nacional, mas no momento certo para que a equipa possa preparar da melhor forma possível a partida do tudo ou nada da temporada 2015/16: a final da Taça de Portugal, com o Sp. Braga.

Para já, em Vila do Conde, os 22 elementos do plantel principal que o técnico tem neste momento à sua disposição já deverão passar por um primeiro crivo, cujos sobreviventes estarão naturalmente mais perto de ganhar um lugar no embate que encerra a época em Portugal. A resposta individual e coletiva ditará o resto.

Números

5 foi o número máximo de lesionados que o FC Porto teve numa só jornada durante o período em análise. Aconteceu à 27.ª jornada, em Setúbal, partida da qual Marcano, André André, Evandro, Varela e Bueno ficaram de fora por motivos físicos

1 lesionado na deslocação a Belém, na 24.ª ronda. Martins Indi foi o único afastado por tais razões na marca mais baixa desde janeiro, ao qual se somaria a exclusão de Layún, castigado

7 jornadas da Liga NOS durante este período nas quais o FC Porto não foi limitado por motivos disciplinares. Nas restantes cinco teve sempre, pelo menos, um dos seus jogadores suspenso

Por André Monteiro
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0