FC Porto pondera queixa contra o Estado caso a decisão final dos emails se mantenha

Dragões vão até às últimas consequências e irão recorrer ao Tribunal da Relação e, se necessário, ao Supremo Tribunal de Justiça

A informação foi avançada por Nuno Brandão
A informação foi avançada por Nuno Brandão • Foto: Ricardo Jr

O FC Porto não se conforma com a sentença aplicada, esta sexta-feira, pelo Juízo Central Cível do Porto, que condenou os dragões ao pagamento de dois milhões de Euros ao Benfica, em virtude da divulgação dos emails.

Os azuis e brancos estão dispostos a ir até às últimas consequências e ponderam, inclusive, avançar com uma queixa contra o Estado português, caso a decisão do sistema judicial após o recurso ao Tribunal da Relação e a um eventual recurso ao Supremo se mantenha inalterada.

A informação foi avançada por Nuno Brandão, em declarações ao Porto Canal, uma vez que, na ótica do advogado do FC Porto, estão em "causa vários direitos".

"O FC Porto não deixará de interpor recurso para o Tribunal da Relação e, se necessário for, para o Supremo Tribunal de Justiça. Essa é uma via em aberto e que será usada pelo FC Porto. É também certo que, caso o sistema judicial conclua num sentido similar ao que hoje foi decidido, que é ainda uma decisão provisória, mas se vier a ser tomada uma decisão definitiva que vá ao encontro desta que foi tomada haverá, da parte do FC Porto, a possibilidade de apresentar uma queixa contra o Estado português porque nos parece que há aqui uma violação de vários direitos basilares que são aplicáveis ao Estado e que não podem justificar uma condenação desta natureza", referiu.

Por Pedro Morais
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.