Francisco J. Marques: «Antes das 18 consecutivas, Benfica levou 5 no Dragão»

Diretor de Comunicação dos dragões e a diferença nas séries de vitórias

• Foto: Movenotícias

Com a vitória sobre o Nacional, na noite de segunda-feira, o FC Porto atingiu as 18 vitórias consecutivas e igualou o recorde do Benfica de Jorge Jesus, que remonta à época de 2010/11. Ainda assim, para Francisco J. Marques, diretor de Comunicação do FC Porto, existe uma diferença entre as duas séries.

"Estas vitórias só interessam se servirem de alguma coisa. Nesse ano, o FC Porto foi campeão e antes de o Benfica fazer a série levou 5 no Dragão", começou por dizer. "O Benfica também tem 18 consecutivas e isso não se pode retirar. Mas esta do FC Porto tem 4 vitórias na Liga dos Campeões. O Benfica iniciou a série após derrotas na Liga dos Campeões. O FC Porto faz 18 vitórias em plena Liga dos Campeões, o que aumenta a valia desta marca", acrescentou, assumindo que este é um momento histórico para os dragões.

"É fantástico, nunca em mais de 100 anos de história o FC Porto o tinha alcançado. Não há equipas que ganhem sempre, um dia esta série vai acabar, mas oxalá ainda demore. Esta série de vitórias é um meio para atingir o fim, que são os Aliados, mas o caminho nem a meio vai. Há toda uma segunda volta para disputar. E o Sérgio Conceição tem salientado isso. Estas vitórias ajudam porque ajudam a somar pontos. Se continuarmos a manter este nível de rendimento, iremos atingir o objetivo de nos sagrarmos bicampeões", apontou, embarcando, de seguida, numa reflexão em torno de um ponto de ordem do futebol português.

"Ontem o nosso treinador falou disso, hoje esteve na Federação numa reunião com os treinadores e em que pelos vistos isto era assunto: a densidade competitiva. O FC Porto é o sobrevivente português na Liga dos Campeões e a 12 de fevereiro tem o jogo em Roma. Desde o Natal até ao jogo o FC Porto pode ter de disputar 12 jogos. O jogo com a Roma será o 12.º . A Roma fará o 7.º. isto faz a diferença. Somos um país pequeno, mas exigimos aos nossos plantéis que compitam com os grandes campeonatos, com os clubes ricos, com os clubes que têm dinheiro para construir plantéis como querem, tendo muito mais desgaste. Quando o FC Porto jogou com o Liverpool, o Liverpool vinha de descanso. No 15 dias anteriores, os titulares qusae não tinham jogado. Em Portugal, nós lutamos com armas desiguais e devíamos ter mais atenção na calendarização. Não faz sentido nenhum. Acresce a isto o sistemático prejuízo do FC Porto na marcação de jogos. Até às meias-finais da Allianz Cup, o FC Porto é o que tem o calendário pior", concluiu.

Por Pedro Morais
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.