Record

Maniche: «Gosto de jogar no meio»

MÉDIO QUER RELANÇAR A CARREIRA

Após um ano de ausência da competição, Maniche está apostado em relançar a sua carreira ao serviço do FC Porto. Aos 24 anos, o ex-benfiquista quer esquecer definitivamente o passado e aproveitar a oportunidade concedida por José Mourinho para concretizar o seu grande desejo: "Seria um ano em cheio, vir para o FC Porto e ser logo campeão. É um sonho que persigo há bastante tempo."

Consciente de que não será fácil conseguir um lugar no onze portista, Maniche lembra que as suas características lhe permitem alinhar em várias posições no sector atacante. Com o alemão Jupp Heynckes, na temporada 99/2000, jogou quase sempre como extremo-direito e efectuou a sua melhor época de sempre (10 golos em 28 jogos).

Na temporada seguinte, passou a alinhar como "10". Primeiro com Heynckes, depois com Mourinho e finalmente com Toni. Não sendo a sua posição de origem, é aquela onde se sente mais à vontade, apesar de só ter apontado um golo em 26 encontros. A sua influência na equipa era de tal forma significativa que chegou a ser capitão. "Estou a trabalhar para alcançar um lugar no onze", referiu o reforço portista, salientando que se pode adaptar bem a "qualquer posição do meio-campo para a frente".

Ainda assim, Maniche não esconde a sua preferência: "Gosto mais de jogar no meio, embora há dois ou três anos tenha tido sucesso nas alas, onde marquei muitos golos." Apesar da sua determinação, o médio reconhece que não será fácil vencer a concorrência de jogadores como Deco, Alenitchev e Bruno, embora haja a possibilidade de Mourinho utilizar dois no meio-campo ofensivo.

Com a troca da Luz para as Antas, Maniche quer não só voltar a competir ao mais alto nível mas também conquistar o título nacional, o primeiro da sua carreira. "Em termos colectivos, não nos passa pelo horizonte não sermos campeões e tentar ir o mais longe possível nas provas em que estamos inseridos. No capítulo individual, quero, se possível, ser titular e ajudar este excelente grupo de trabalho a ganhar."

«Há mais espírito de grupo»

Maniche não poupa elogios à máquina portista comparativamente ao Benfica: "Em termos de organização tudo é diferente. A união é maior e nota-se que há mais espírito de grupo. As pessoas são mais humildes. Como vinha do Benfica estava apreensivo, mas até agora só tenho razões para estar satisfeito."

«É jogador de selecção»

O médio portista comentou ainda a saída de Jorge Ribeiro do Benfica para o Varzim: "É meu irmão, tem valor e é jogador de selecção. Mais tarde, quem sabe se não poderá vir a representar um dos grandes clubes portugueses. O Benfica deixou fugir mais uma vez um excelente jogador."
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas

M